Sete tendências que vão influenciar o consumo até 2030

São sete os principais factores que vão impactar o comportamento dos consumidores nos próximos 10 anos, de acordo com as previsões do “Global Consumer Trends 2030”, elaborado pela consultora Mintel.

«Este ano, estamos a implementar uma abordagem arrojada com as nossas previsões sobre o futuro do consumo ao incorporar sete factores-chave que vão orientar as decisões de compra» nos próximos anos, afirma a consultora. Conheça as previsões, citadas pelo site Mood.

Bem-estar: uma tendência que não tem apenas a ver com o bem-estar físico, mas com a procura por conveniência, transparência e valor. Nos próximos 10 anos, haverá oportunidades para as marcas se tornarem parceiras de bem-estar dos seus clientes, oferecendo cada vez mais soluções personalizadas;

Meio envolvente: as tensões sociais deverão continuar a aumentar à medida que a competição por recursos cresce. Além disso, o custo de produção de alimentos também irá aumentar, tornando os produtos básicos ainda mais caros para a maioria das pessoas;

Tecnologia móvel: continuará a diluir as linhas entre tempo, viagem e deslocação para o trabalho, ensino ou lazer. A realidade virtual e aumentada revolucionará indústrias como a do turismo e do entretenimento, enquanto os e-sports virtuais rivalizarão em popularidade com os desportos físicos;

Luta pelos direitos: os consumidores sentem-se cada vez mais capacitados para enfrentar empresas, marcas e pessoas com as quais discordem. O activismo juvenil assumirá a liderança na consciencialização pública das causas e pressionará os líderes legislativos a desenvolverem ideias para fazerem mudanças reais;

Redefinição da identidade: apesar de estarmos mais ligados do que nunca, os sentimentos de solidão e isolamento estão a aumentar e atingirão proporções epidémicas até 2030. A Mintel prevê, por isso, que surjam cada vez mais soluções baseadas em tecnologia para ajudar a combater esta tendência;

Busca de experiências: os consumidores estão a experimentar fortes conexões emocionais com marcas que estão a criar pontos de diferenciação. E a tecnologia é um veículo para gerar experiências;

O valor das coisas: os consumidores estão a analisar melhor os seus próprios hábitos de consumo. Enquanto procuram uma abordagem mais consciente dos seus gastos, também desejam algo autêntico e exclusivo. A Mintel espera, por isso, um movimento crescente para um consumismo mais lento e mínimo, que enfatize a durabilidade e a funcionalidade.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Produção de carros em outubro quase nos 15%