Ryanair rejeita alegações do Turismo de Portugal

ceo_ryanair_2A Ryanair veio a terreiro rejeitar as alegações do Turismo de Portugal e pedir uma explicação para o gasto de três milhões de euros no patrocínio ao golfe em vez de colaborar com a companhia para enfrentar os desafios colocados pela sazonalidade em Faro.

Em causa está o facto do Turismo de Portugal ter rejeitado o plano de crescimento da Ryanair para o Aeroporto de Faro, que iria conduzir a um aumento do tráfego de passageiros durante o Inverno em até 35% através da abertura de três novas rotas nesta época para Colónia, Dortmund e Memmingen e aumentando o número de voos semanais de 68 para 92.

Como parte da proposta apresentada, a Ryanair solicitou ao Turismo de Portugal um investimento em marketing a fim de promover este reforço de 70 mil passageiros. A proposta foi rejeitada, afirmando o Turismo de Portugal que continuará a ponderar com os vários parceiros todas as oportunidades que permitam aumentar os fluxos turísticos.

«A Ryanair rejeita estas falsas alegações do Turismos de Portugal, que em vez de gerar cerca de 35 milhões de euros em receitas de turismo apoiando o plano da Ryanair de trazer mais 70 mil passageiros em Faro, gasta três milhões de euros num torneio de golfe e no Circuito Europeu de Golfe. Faro perdeu a oportunidade para novos fluxos turísticos, crescimento e empregos depois do Turismo de Portugal ter falhado o compromisso de resolver os desafios da sazonalidade em Faro e de ter rejeitado a proposta da Ryanair», declarou a propósito Robin Kiely, da Ryanair.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Portugal atraiu 610 estrangeiros «altamente qualificados» através deste programa
Automonitor
Regulamento da mobilidade elétrica obriga a celebrar contratos de adesão