Regresso às aulas: 4 dicas para combater a poluição sonora na escola

A escola é um dos locais onde os mais novos passam mais horas dos seus dias, por isso é importante garantir que este é um espaço seguro, a todos os níveis. O alerta é deixado pela Minisom, que aponta para a poluição sonora nas escolas como um problema que pode colocar em causa, até, o desenvolvimento cognitivo das crianças.

“No ambiente escolar, o ruído é considerado um agente que interfere no desempenho e bem-estar do aluno (e também dos professores), colocando em causa todo o processo de aprendizagem”, indica a Minisom. Em comunicado, a empresa aproveita ainda para deixar quatro conselhos que poderão ajudar a evitar consequências graves como perda de memória, desregulação do sono, dores de cabeça, descontração, nervosismo, agressividade e surdez.

– Actuação sobre a fonte de ruído

É importante promover conteúdos pedagógicos que captem a atenção dos alunos e os mantenham interessados. Muitas escolas já usam os seus meios audiovisuais para manter os alunos realmente interessados nas matérias. Mas muito há ainda por fazer.

– Promover actividades menos ruidosas e igualmente profícuas

Em muitas escolas, um pouco por todo o mundo, já foram adoptadas actividades de meditação, mindfullness, ou “my time”, que por apenas alguns minutos ajudam os alunos a concentrarem-se antes de cada período de aula.

– Actuação sobre as vias de propagação

Isto pode traduzir-se no uso de materiais de isolamento e painéis antirruído.

– Tratamento acústico das paredes

Tem como objectivo evitar ou diminuir o tempo de reverberação, devendo ser evitadas as superfícies lisas e duras.

Ler Mais



loading...
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...