Reclamações sobre burlas nas redes sociais sobem 654%. Facebook lidera queixas

Uma análise do Portal da Queixa mostra que as reclamações relacionadas com burlas nas redes sociais disparam 654%, entre Janeiro e Maio deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2021.

O número é avançado a propósito do Dia Mundial das Redes Sociais, que se assinala a 30 de Junho, e é revelador dos riscos ainda presentes numa navegação online sem os cuidados e conhecimentos necessários. «A facilidade com que se cria uma loja online nestas redes sociais origina que pessoas mal-intencionadas encontrem aqui uma forma fácil e rápida de enganar os consumidores, sobretudo os menos informados, que são um alvo mais fácil de cair neste esquema», refere Pedro Lourenço, fundador do Portal da Queixa.

O Facebook (60%) lidera em termos de número de queixas, logo seguido pelo Instagram (29%). Os principais problemas dizem respeito a encomendas que não chegam, dificuldade de contacto com os vendedores e lojas que deixam de existir.

Ainda assim, é possível comprar com segurança nestas plataformas. Pedro Lourenço sublinha que «comprar online sim, mas é importante estar bem informado, ter atenção redobrada, é preciso antecipar situações e prever riscos». Em caso de dúvida, poderá ser útil pesquisar pela marca antecipadamente, ou, em caso de burla, denunciar sempre em plataformas como o Portal da Queixa.

4 dicas e cuidados a ter antes de comprar nas redes sociais:

– Pesquisar antes de comprar. Pesquisar o mais possível sobre a marca, sobre experiências de outros consumidores e qual é a performance da marca segundo os mesmos.

– Dar preferência ao Instagram Shop. O Instagram Shop é direccionado a contas comerciais e permite colocar o preço e link directo para a loja na própria publicação. O processo de validação do Instagram Shop de uma marca está sujeito a vários critérios rigorosos, entre eles a vinculação a um site credível e seguro, algo que traz alguma segurança ao consumidor.

– Desconfiar de produtos baratos. Podem nunca chegar, podem não corresponder à realidade, podem ser falsos ou contrafacção.

– Muita pressão por parte do vendedor. Se existir pressão por parte do vendedor em realizar a compra pode significar burla. Nenhuma loja online credível e segura pressiona os seus clientes a comprar algo. Como nas lojas físicas, o consumidor só compra se assim o entender.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...