Ramirez investe 18 milhões em nova fábrica

ramirez_2São 18 milhões de euros que a Ramirez prevê investir na construção da nova unidade em Lavra, Matosinhos, e que ocupará 20 mil m2 de uma área total de 40 mil m2. Isto, quando comemora 160 anos de actividade.

A nova fábrica permitirá duplicar a capacidade actual da unidade mais antiga do mundo em laboração no sector das conservas de peixe e que, nos últimos anos, tem absorvido 25% das descargas anuais de sardinha no porto de pesca de Matosinhos.

Actualmente, as vendas da empresa cifram-se nas 45 milhões de latas/ano, o que representa uma facturação de 30 milhões de euros. Do total da produção, 64% é canalizado para exportação, junto de 50 mercados.

«A nossa história revela o sucesso de uma série de investimentos em períodos de adversidade. A “Ramirez 1853” será uma estrutura industrial de vanguarda, com todas as especificações tecnológicas dos dias de hoje. Permitirá uma série de mais-valias: substituir as actuais instalações, diminuindo os custos operacionais e logísticos e favorecer o recurso a novos equipamentos e a criação de novos produtos, dando continuidade à aposta na segurança alimentar e na inovação», explica Manuel Ramirez, presidente do conselho de administração da Ramirez & Cª (Filhos), SA.

Apoiada pelo PROMAR, a nova fábrica da Ramirez foi também declarada como um projecto de Potencial Interesse Nacional (PIN). «Este reconhecimento permitiu acelerar os processos burocráticos do licenciamento, como aliás todos deveriam ser, para bem do investimento no nosso país», reconhece Manuel Ramirez.

A “Ramirez 1853” terá ainda um museu, alusivo à sua história empresarial em Vila Real de Santo António, Olhão, Albufeira, Setúbal, Lisboa, Matosinhos e Peniche, bem como uma plataforma de divulgação e degustação das mais diversas propostas de conservas de peixe.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
O impacto da Inteligência Emocional nas empresas
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo