Quatro milhões acompanharam Nos Alive em casa

Durante os três dias do Nos Alive 2017, quatro milhões de pessoas acompanharam o festival através das emissões da RTP, Rádio Comercial e canal oficial do evento. Assim, quem não teve a oportunidade de assegurar um bilhete para visitar o Passeio Marítimo de Algés – já que esgotou três meses antes – pôde assistir aos concertos e sentir o pulso ao ambiente.

No caso da transmissão da RTP, mais de três milhões de pessoas recorreram à RTP1 para ver as suas bandas preferidas. Dados divulgados pelo Nos Alive, referentes aos três dias, apontam para uma média de reach de todas as emissões de 944 mil espectadores e para um crescimento de 495% no número de visitas aos canais RTP Play dedicados ao festival.

Já o canal oficial Nos Alive, exclusivo Nos e disponível na posição 700, conquistou 852.924 pessoas, superando o desempenho do ano passado. A organização destaca ainda a emissão da Rádio Comercial, que esteve 34 horas em directo, transmitiu 12 concertos, levou 23 convidados a estúdio, gravou 14 horas de vídeo e publicou 214 fotografias.

Quanto aos que tiveram oportunidade de participar no festival em carne e osso, contabilizam-se 165 mil pessoas, incluindo 22 mil estrangeiros de mais de 80 países. O público pôde assistir a 125 actuações em sete palcos e ainda participar nas dezenas de activações preparadas pelas marcas parceiras do evento.

A 11.ª edição do Nos Alive fica ainda marcada pelo nascimento de Rodrigo, apelidado pela organização como o “primeiro bebé Nos Alive”. Tudo porque Rodrigo decidiu nascer enquanto os pais assistiam ao concerto de The XX, no primeiro dia do festival, obrigando a mãe a abandonar o recinto em direcção ao Hospital Garcia da Horta.

Outros números da edição deste ano do Nos Alive incluem a recolha de 138.510 copos usados, fruto da iniciativa “Sê-lo Verde 2017”.

O Nos Alive regressa no próximo ano, nos dias 12, 13 e 14 de Julho.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
O impacto da Inteligência Emocional nas empresas
Automonitor
Está grávida? Veja o que deve (e não deve) fazer se for conduzir