Qual o mais stressante: mudar de casa ou regresso à escola?

Um em cada três pais portugueses considera que o período de regresso às aulas é mais stressante do que mudar de casa. A conclusão é de um estudo realizado pela Staples, com a intenção de perceber o impacto do regresso à escola nas crianças e nos pais.

O top das preocupações relativas a este momento é preenchido pelo receio das crianças estarem desmotivadas com a escola (54%), mau comportamento (38%), irem mal preparadas (31%) e estarem stressados (23%). Quanto às fontes de ansiedade dos filhos, o estudo indica que em primeiro lugar está o stress (44%), seguido por não fazer amigos (38%) e temor da aula menos favorita (37%).

O mesmo estudo da Staples conclui que os pais têm técnicas para entusiasmar os filhos relativamente ao regresso às aulas: 41% planeia a visita de amigos dos filhos a casa durante as férias e 38% permite que os filhos decorem o material escolar. Quanto a este último ponto, os pais gastam em média 262 euros na preparação para o regresso à escola, sendo que no caso de 13% o valor ascende aos 450 euros.

Sharon Tan, head of Category Management da Staples para a Europa, refere que receberam os resultados do estudo com surpresa: «Ficámos surpreendidos ao saber que [o período do regresso às aulas] é comparado com outros momentos stressantes como mudar de casa – muitas vezes considerado como uma das coisas mais stressantes que uma pessoa pode fazer.»

Em comunicado, a mesmo responsável conta ainda que o stress pode estar relacionado com a falta de preparação, já que deixar tudo para a última hora pode conduzir a «muita correria antes e no início da data».

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Isabel Barros distinguida com prémio «Excelência» na liderança. Foi a única portuguesa
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual