Profissionais felizes aumentariam produtividade em 300 milhões

Quem é feliz no trabalho é também mais produtivo. Partindo deste princípio, o estudo “Happines Works” da Atlântica University Higher Institution conclui que se todos os profissionais fossem felizes, a produtividade em Portugal seria superior em 300 milhões de euros.

O mesmo estudo, resultado de inquéritos realizados a mais de 200 empresas, indica que quem está mais feliz com o seu trabalho falta menos 36%. Além disso, estas pessoas têm menos 45% de vontade de mudar de empresa.

Numa escala em que cinco é o valor máximo, os portugueses inquiridos consideram-se felizes no trabalho a um nível de 3,8 pontos. Trata-se do melhor resultado de sempre, sendo que o estudo é realizado há cinco anos. À semelhança de anos anteriores, os profissionais dizem-se mais felizes na função que desempenham do que na empresa em que trabalham.

Construção e Imobiliário e Indústria são os sectores de actividade em que as pessoas se sentem mais felizes, ao passo que Estado e Transportes e Logística são as áreas com trabalhadores mais infelizes. Em termos de hierarquia, as pessoas em lugares de chefia são mais felizes do que quem é subordinado.

Para chegar ao conceito de “feliz”, o estudo teve em conta o absentismo, a retenção de talento e a percepção de produtividade.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes cinco projectos são os mais inovadores em Gestão de Pessoas
Automonitor
Já pode encomendar o novo Opel Grandland X Hybrid4