Prémio Navigator Art on Paper já tem vencedor

Catherine Anyango Grünewald é a grande vencedora da segunda edição do Navigator Art On Paper, descrito pela The Navigator Company como o maior galardão de arte em papel do mundo. A artista recorreu ao lápis de carvão para dar vida em papel a acontecimentos traumáticos, como é o caso da morte de uma mulher em Aleppo.

“No seu trabalho, o carvão é usado com violência sobre o papel, riscando-o e marcando-o quase até ao limite da sua integridade, em desenhos que reflectem o luto e uma possível redenção”, explica a The Navigator Company em comunicado. Catherine Anyango Grünewald usa também a borracha para apagar e criar novos espaços vazios na folha.

O seu trabalho pode ser visto na exposição “Navigator Art on Paper”, patente na Sociedade Nacional de Belas Artes a partir da próxima sexta-feira, dia 17. A mostra, de entrada livre, ficará por lá até 1 de Junho, período durante o qual será possível conhecer também alguns projectos dos restantes artistas finalistas do concurso.

Filipa Oliveira, curadora do Prémio Navigator Art on Paper, acredita que a iniciativa precisa de tempo para se afirmar, tal como qualquer outra competição. O objectivo, contudo, é que este seja o prémio referência de arte em papel. «Queremos que, quando se pense em arte sobre papel, se pense no Prémio Navigator Art on Paper. Queremos que os melhores artistas a trabalhar em papel considerem um momento importante para eles e para as suas carreiras fazerem parte dos nomeados e vencedores do prémio. E queremos, principalmente, que o prémio tenha um papel transformador na carreira dos artistas que por ele passam», afirma a responsável.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
MultiOpticas continua a apostar no apoio a crianças e jovens em risco
Automonitor
Novo Renault Captur com classificação máxima no EuroNCAP