Portugueses partilham mais desde a crise

Portugal supera a média europeia no que à partilha de bens diz respeito. Este é um dos resultados do estudo do Observador Cetelem que revela quais as tendências de consumo dos europeus desde a crise e quais as práticas que têm evoluído nos últimos cinco anos.

Enquanto a média para a Europa é de 9%, o estudo revela que cerca de 14% dos portugueses afirma partilhar mais ou trocar mais bens e produtos do que nos anos anteriores à crise económica. Ainda assim, os campeões da partilha são os húngaros com uma média de 16%.

As tendências de consumo não se ficam por aqui. Nos últimos cinco anos, o mercado de segunda mão ganhou novo fôlego com seis em cada dez europeus a revenderem os seus objectos e dois em cada três a comprarem esses mesmos objectos em segunda mão. Portugal não fica de fora já que 26% dos inquiridos afirma revender produtos e 21% afirma comprar artigos que já pertenceram a outros.

Quanto ao mercado online, a compra de artigos novos pela internet aumentou significativamente na generalidade da Europa mas os portugueses mostram-se mais tradicionais. 33% garante não realizar qualquer tipo de compra online face aos 15% europeus.

Ainda nas novas tecnologias, 10% dos portugueses afirma estar a recorrer mais ao drive, sistema que permite encomendar online e levantar a compra na loja, do que há cinco anos. A média europeia é de 15% mas o destaque vai para os países da Europa Central e Oriental que apresentam números na ordem dos 20 e 30%.

Para este estudo, foram inquiridos 8719 consumidores de 12 países europeus, numa parceria com a sociedade de estudos e consultoria BIPE, com base num inquérito barométrico pela TNS Sofres.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Saiba como competir além-fronteiras. E vencer.
Automonitor
Fiat Professional lança novo Tipo Van