Portugal testa drones para combater poluição

A Autoridade Marítima Nacional, em parceria com o grupo tecnológico português Tekever, utilizou, pela primeira vez, drones num exercício realizado ontem visando o combate à poluição.

O teste fez parte do simulacro Anémona 2015, realizado no Porto de Leixões, cujo objectivo consistiu na recolha de petróleo bruto derramado como consequência de uma falha na estrutura do navio que o transportava.

O sistema aéreo não tripulado escolhido, mais conhecido por drone, foi o sistema de asa fixa AR4 Lighr Ray da Tekever. O aparelho sobrevoou o local para obter informações e enviá-las ao centro de decisão do simulacro em tempo real.

Ricardo Mendes, administrador da Tekever, conta, em comunicado, que «os sistemas áereos não tripulados,  pela sua facilidade operacional, baixos custos, versatilidade, provaram ser de enorme utilidade em missões marítimas, destacando-se em missões de combate à poluição, mas também de vigilância de pesca ilegal, trafico de seres humanos ou narcotráfico.»

Durante o Anémona 2015, foi testada também a captação de imagens que deverão integrar o IMDate, a plataforma de informação marítima da Agência Europeia de Segurança Marítima, um banco de dados disponível para todos os Estados-membros da União Europeia.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Esta ferramenta promete vir revolucionar a Segurança e Saúde no Trabalho
Automonitor
Está grávida? Veja o que deve (e não deve) fazer se for conduzir