Portugal: preocupação com saúde superior à média europeia

A preocupação com a saúde que os portugueses demonstram na hora de escolher os produtos alimentares é superior à média europeia. A conclusão é do estudo “Global Health and Ingredient – Sentiment” da Nielsen que revela ainda que antibióticos, hormonas, corantes, conservantes, sabores artificiais e organismos geneticamente modificados são largamente evitados.

O mesmo estudo indica que 79% dos consumidores portugueses acreditam que as refeições preparadas em casa são mais saudáveis do que as pré-confeccionadas e que 78% estão preocupados com os efeitos a longo-prazo do consumo de ingredientes artificiais. Talvez como consequência, 74% da amostra escolhe os alimentos que consome a pensar na prevenção de doenças como obesidade, diabetes, colesterol e hipertensão: 35% pratica dietas que limitam ou proíbem o consumo de açúcar e 32% o consumo de gordura – a média europeia é de 22% e 20%, respectivamente.

Gustavo Núñez, director geral da Nielsen Iberia, lembra que esta procura por produtos mais saudáveis deve ser aproveitada, até porque este é «precisamente um nicho de mercado muito propenso à inovação». Além dos produtos saudáveis, os portugueses procuram também artigos especiais para intolerantes, uma vez que 12% dos inquiridos diz ser (ou ter alguém no seio familiar) alérgico ou intolerante à lactose, 8% diz o mesmo referente ao marisco e 4% em relação ao glúten e amendoins.

Produtos a que os portugueses dizem “sim”

Depois de explorar quais os produtos que os portugueses querem riscar da lista de compras, o estudo revela quais aqueles que os consumidores nacionais procuram incluir na sua alimentação: carnes brancas (69%), peixe e frutos do mar (67%) e ovos (64%). Na média europeia, a inclusão destes ingredientes fica-se pelos 50%, 52% e 43%, respectivamente.

Apesar de 97% dos portugueses afirmar estarem satisfeitos com a oferta alimentar disponível, há ainda espaço para melhorias. 64% da amostra gostaria de ver produtos 100% naturais nas prateleiras dos supermercados, 53% fala em artigos sem corantes e também 53% aponta para produtos sem açúcar. Com uma percentagem menor mas ainda relevante, 49% gostaria de encontrar produtos com baixo teor de gordura, 41% procura ingredientes que lhes proporcionem novas experiências e 25% quer produtos que imitem outros que já existam (pão sem glúten e leite de soja, por exemplo).

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
O impacto da Inteligência Emocional nas empresas
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo