Portugal entre os que mais cresce no Grande Consumo

Portugal é o sétimo país europeu com maior crescimento no que diz respeito a Bens de Grande Consumo. O “Growth Reporter” da Nielsen, referente ao primeiro trimestre do ano, indica que o mercado português registou um crescimento em valor de 1,6% face aos 0,2% da Europa. Em volume, também subiu 0,3%, o que compara com a queda de 0,7% a nível europeu.

Ana Paula Barbosa, Retailer Services director da Nielsen, justifica o crescimento mais lento das vendas em volume com o facto de «em 2016, o período da Páscoa ter sido considerado neste primeiro trimestre, o que não aconteceu em 2017», sendo que este é um momento importante de consumo no País.

Entre Janeiro e Março, verificou-se também um efeito de preço de 1,2%, o mais elevado de 2012. Segundo a Nielsen, este valor é um sinal de recuperação do cenário de deflação do mercado português.

Ana Paula Barbosa, considera que existem duas razões para a estabilização do preço: «Em primeiro lugar, com o aumento da confiança dos consumidores e a estabilização da economia, assistimos também a um aumento da procura de produtos premium, essencialmente quando relacionados com a beleza, a conveniência, a saúde ou as pequenas indulgências. Por outro lado, verificamos que algumas categorias que no ano passado faziam parte de uma ‘guerra de preços’, nomeadamente os lacticínios e os produtos básicos, acabaram por estabilizar os seus preços.»

 Categorias mais dinâmicas

O “Growth Reporter” revela que o crescimento registado no primeiro trimestre se deve essencialmente aos resultados positivos num conjunto de categorias: Bebidas Não Alcoólicas (8%), Higiene do Lar (4%), Higiene Pessoal (3%), Bebidas Alcoólicas (2%) e Congelados (1%).

Destaque ainda para a inversão de tendências, com as marcas de distribuição a crescerem 3,5%. As marcas de fabricante, por outro lado, sobem apenas 0,6%.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Desafio Global reforça equipa
Automonitor
Produção de carros em Portugal cresce 10% em setembro