Portugal é o quinto País europeu com maior prospectiva de investimento logístico

A expansão do e-Commerce tem impulsionado o investimento logístico em Portugal, tornando-o o quinto país europeu mais “apetecível” para a expansão de operações logísticas. Esta é a conclusão da análise European Real Estate Logistics Census, da consultora imobiliária internacional Savills, que evidencia igualmente o papel que a pandemia exerceu no aumento da dinâmica de procura desta classe de activos.

Portugal fica apenas atrás de França, Alemanha, Espanha e Itália nesta lista, que demonstra uma reconfiguração das necessidades de armazenamento originadas pelos confinamentos e pelo consequente crescimento do e-Commerce.

Cerca de 95% dos operadores logísticos abrangidos pelo estudo antecipa precisar de mais ou do mesmo espaço de armazenamento de mercadorias ao longo dos próximos três anos, sendo que 47% afirma que é muito provável que venha a expandir a sua capacidade de stock.

Os operadores 3PL (third party logistics – responsáveis pelo armazenamento e transporte de mercadorias de uma empresa) são os que mais deverão expandir os seus armazéns, seguidos dos retalhistas e da manufactura. Desta forma, 36% destes deverá expandir as suas instalações logísticas em mais de 40 mil metros quadrados e 44% entre os 10 mil e os 40 mil metros quadrados.

Face a esta realidade, para os operadores logísticos, França (44%), Alemanha (43%), Espanha (39%), Itália (26%) e Portugal (24%) são os mercados que lideram os destinos preferenciais para aumentar a sua capacidade de armazenamento na Europa, sendo mercados capazes de atrair cada vez mais investimento em logística.

Marcus De Minckwitz, head of EMEA Industrial and Logistics, refere, em comunicado, que, «desde o início da pandemia, a procura por espaço de armazenamento aumentou dramaticamente, enquanto a disponibilidade continuou a diminuir». Por sua vez, «o forte desempenho do mercado ocupacional intensificou o interesse dos mercados de capitais no sector, com volumes de investimento anuais que atingiram os 35 mil milhões de euros».

Para 2022, Pedro Figueiras, associate director de Industrial & Logistics da Savills Portugal, antevê «a continuação da tendência de maior necessidade de área Logística e Industrial, ao mesmo tempo que deverão ser anunciados vários novos projectos por parte dos promotores logísticos». Porém, salienta, «a pressão de escassez de área de logística dever-se-á manter, dado que só é expectável que estes projectos se concluam em meados de 2023 e 2024, o que permite antever a continuação da tendência de pré-arrendamentos observada em 2021».

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...