Porque é que a nova campanha do Banco CTT é especial? A NICS explica

No seguimento do lançamento da Campanha “Casa de Sonho” do Banco CTT co-criada pela agência [nome inglês com style] e pela Mediacom, desafiámos a NICS a explicar-nos o que torna esta campanha diferente das outras.

Eis o que eles nos têm para contar em 5 pontos-chave.

Certamente, todos nós temos uma capacidade inata para dizer, e fazer, coisas parvas. As personagens da “Casa de Sonho” apoiam-se nessa nossa parvoíce para se tornarem caricaturas de pessoas que conhecemos, com quem convivemos, e até, quem sabe, de nós próprios.

Simultaneamente, as risadas, que esperamos que aconteçam, surgirão certamente daquela sensação de superioridade que todos sentimos quando confrontados com personagens, e situações, também elas repletas de parvoíce.

Criatividade

O humor não é apenas uma forma de entretenimento.

O humor não é unidimensional. As várias, e diversas, formas de humor podem ser controladas, ou adaptadas, de acordo com o meio de comunicação que se utiliza, e com o público-alvo para quem a mensagem se destina. E, felizmente, estamos cada vez mais a afastar-nos da ideia ancestral de que o humor descredibiliza a mensagem.

Pelo contrário, a publicidade está a sentir a necessidade de se aproximar cada vez mais do entretenimento, para ser vista e ouvida. O próximo passo lógico é, portanto, a publicidade tornar-se entretenimento. Se há tanta comida de fusão, porque é que não pode haver publicidade de fusão? E nós, na [nome inglês com style], acreditamos que rir é sempre bom! Que o humor gera emoção, e a emoção capta a atenção.

Que o humor é uma ótima ferramenta para facilitar a compreensão dos argumentos. E que a atenção e compreensão dos argumentos facilitam a criação de memórias. Neste sentido, estímulos positivos, emoção, atenção, e compreensão da mensagem, são elementos chave para posicionar as marcas na mente do público.

É para isso que trabalhamos. No caso específico da “Casa de Sonho”, tendo em vista o público-alvo da campanha, optou-se por utilizar um humor inocente, livre de conotações negativas tácitas.

Modelo Parceria

A “Casa de Sonho” foi uma campanha especial para a [nome inglês com style] porque não fomos abordados pelo Banco CTT em regime de cliente, mas sim convidados pela Mediacom para abraçar este projecto num modelo de parceria entre agências.

Portanto, a “Casa de Sonho” não é apenas a primeira vez que criamos e produzimos uma mini-série de conteúdos de marca para TV, foi também a primeira oportunidade para testar este modelo em que tanto acreditamos. Poder-se-ia pensar que não ter contacto directo com o cliente traria entropia ao processo de criação e produção.

No entanto, é importante relembrar que, por agora, projectos ainda são idealizados, geridos, e produzidos, por pessoas. E quando o processo é transparente, não se empurra com a barriga os problemas de uns para cima dos demais, e as responsabilidades estão bem definidas desde o kick-off, o que o modelo de parceria gera é complementaridade, e multidisciplinariedade. Na “Casa de Sonho”, cada um dos parceiros, onde também deve ser incluído o canal AXN, trabalhou no que melhor sabe fazer, e, com isso, quem saiu a ganhar foi a campanha. E, claro, o Banco CTT.

Produto chave na mão

Tem se revelado ser uma mais valia em todos os projectos da [nome inglês com style]. Tradicionalmente, a criatividade está separada da realização/produção, nos seus processo e nos orçamentos.

Na [nome inglês com style] juntamos essas capacidades todas na mesma casa, onde as decisões são tomadas em conjunto, simplificando a tarefa do cliente desde o dia 1 até à entrega. Para usar o jargão da modernidade, permite-nos trabalhar de uma forma ágil, eficaz, e mais competitiva.

Só assim foi possível executar a “Casa de Sonho” em tempo recorde.

Casting

A escolha do casting é sempre fundamental para, não só, reduzir o tempo de produção, mas também, conseguir que o humor das palavras escritas se transforme em imagens em movimento empáticas. Felizmente, todos os actores com quem temos trabalhado foram as nossas primeiras escolhas.

Na “Casa de Sonho” conseguimos trazer a nova geração para trabalhar com a experiência da geração mais velha, e grande parte da responsabilidade pelo sucesso advém da dedicação, talento, e disponibilidade, deles os 5.

Já para não falar que os 5 episódios foram feitos em apenas 2 dias de rodagem!

Deixamos para o público decidir

Já nos foi muito difícil escrever 4 motivos.

Há mais motivos certamente, no entanto, não nos peçam para descrever mais 1. Na [nome inglês com style] ninguém tem talento para falar de si, nem para escrever sobre si. Preferimos falar e escrever sobre os outros, os reais e os ficcionais.

Mesmo assim surge aqui a necessidade de encher mais umas linhas de texto para que a Marketeer fique satisfeita com este artigo. Se alguém nos quiser ajudar, é só completar a seguinte frase: “Era uma vez uma boutique de criatividade chamada [nome inglês com style] que [inserir pitch de venda aqui, com um máximo de 300 caracteres, com espaço].”

Conheça aqui os bastidores desta campanha:

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Novo Alpine A110S pronto para encomendar em Portugal