Phenix aponta para 40 milhões de refeições salvas ainda este ano

A Phenix já permitiu salvar mais de 20 milhões de refeições em Portugal, desde que chegou ao mercado em 2016. Em cerca de cinco anos, evitou que mais de 12 mil toneladas de produtos alimentares e não alimentares acabassem no lixo, prevenindo também que 24 mil toneladas de dióxido de carbono fossem emitidas.

Para 2022, a ambição é duplicar o número de refeições salvas, chegando aos 40 milhões até ao final do ano. Para cumprir este objectivo contribuirão novos produtos e soluções tecnológicas que a Phenix tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos meses e que poderão ser adquiridos pelos clientes em pacote ou em separado, segundo é explicado em comunicado.

A ideia é que seja possível gerir um produto alimentar em todos os momentos do seu ciclo de vida, optimizando o processo de tomada de decisão, por parte das empresas, tornando-o mais eficiente. Com as novas soluções, as empresas poderão melhorar a forma como gerem stocks e datas de validade, mas também as suas vendas através da aplicação Phenix e, por fim, o escoamento através de doações.

«O balanço, até agora, é bastante positivo, mas não queremos ficar por aqui», sublinha Frederico Venâncio, director-geral da Phenix em Portugal. «Todos os dias, vemos cada vez mais empresas interessadas em usufruir da tecnologia Phenix para melhorar a gestão dos seus produtos. E, do ponto de vista da nossa aplicação, temos conseguido duplicar resultados ano após ano», acrescenta.

De acordo com Frederico Venâncio, Portugal desperdiça, anualmente, um terço de todo os alimentos que produz, o que significa que ainda há muito a fazer. «Para cumprir as metas às quais nos propomos, contamos ainda este ano alargar a presença da nossa aplicação a novas cidades, além de lançar, em breve, um novo leque de produtos que definitivamente nos vão ajudar a ser um país com um índice excepcional de reaproveitamento alimentar», adianta ainda o director-geral.



Artigos relacionados
Comentários
A carregar...