Pessoas acima dos 65 são as que mais partilham fake news

Independentemente da classe social, formação, género, idade ou etnia, os cidadãos mais velhos são os que mais partilham notícias falsas (fake news) no Facebook – pelo menos nos Estados Unidos da América (EUA). Um estudo de investigadores das universidades de New York e Princeton, reportado pelo The Verge, indica que os norte-americanos acima dos 65 anos são os mais impactados por este tipo de conteúdos.

Partindo de uma experiência em que participaram 3500 pessoas, os investigadores verificaram que 11% dos utilizadores do Facebook com mais de 65 anos partilharam uma notícia falsa versus apenas 3% dos utilizadores entre os 18 e os 29 anos.

Andrew Guess, cientista política da Universidade de Princeton, sublinha que o facto de os utilizadores mais velhos serem os que mais partilham notícias falsas não é surpreendente. Porém, não estavam à espera de que esta fosse uma tendência transversal a todas as pessoas com mais de 65 anos: não se trata de um problema ligado a militantes de determinado partido com determinadas ideologias.

Quanto a possíveis justificações, são apontadas duas: a primeira está relacionada com o facto de utilizadores mais velhos não terem crescido com a internet e de, por isso, não terem a literacia digital necessária; a segunda parte da noção de que as faculdades cognitivas vão declinando à medida que vamos envelhecendo.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Qual é, afinal, o papel do líder?
Automonitor
Maratonas condicionam trânsito em Lisboa (conheça as vias afetadas)