Pesquisas são online, mas as compras offline

shopEm cada 10 portugueses que procuram informação na Internet sobre produtos de retalho, 8 acabam por concretizar a compra numa loja. A conclusão é de um estudo encomendado pela Google Portugal à TNS infratest sobre comportamento de pesquisa, compra no retalho, contacto com a publicidade e utilização de motores pesquisa.

“As conclusões deste estudo comprovam o que temos vindo a assistir nos últimos tempos. O actual contexto económico tem levado os consumidores a intensificarem a procura de informação antes de tomarem uma decisão de compra e a adoptarem atitudes cada vez mais racionais e fundamentadas. Este facto acaba por multiplicar as oportunidades para os retalhistas comunicarem com o seu público-alvo”, explica Carlos Paulo, Industry Leader da Google Portugal.

Os produtos electrónicos de consumo assumem o topo das preferências (com 12% dos entrevistados) entre as categorias de produtos mais adquiridos online após pesquisa online. Seguem-se os equipamentos de jardinagem (11%), enquanto que categorias de equipamentos desportivos, mobiliário e decoração e acessórios pessoais surgem a meio da tabela (9%), aparecendo, no fim, os equipamentos domésticos e roupas e acessórios (8%).

A indisponibilidade dos produto em Portugal (com 55% das respostas), a conveniência de um serviço disponível 24 horas por dia / 7 dias por semana (48%) e a ausência de filas das lojas (48%) são as motivações apontadas para a aquisição online de um produto. Quanto às barreiras para a compra online dos portugueses, destaque para o facto das pessoas gostarem de uma opinião pessoal do vendedor da loja (54%), e de tocarem e manusearem o produto (52%).

Entre as categorias que revelam maiores índices de pesquisa online antes da compra, os produtos electrónicos de consumo assumem a liderança com 91%, seguidos de perto pela categoria de grandes domésticos (72%) e pequenos domésticos (65%).

Enquanto que nas fontes offline predominam os conselhos pessoais (família, amigos e loja) e as brochuras, as lojas on-line e os motores de pesquisas assumem a topo das preferências das fontes online a que os entrevistados mais recorrem. Aliás, este estudo revela que metade das pessoas que compra online descobre novas lojas e outros websites através dos motores de pesquisa.

Ainda de acordo com os resultados do estudo da Google, e no que diz respeito à publicidade em motores de pesquisa, mais de um terço das pessoas que clica num anúncio no motor de pesquisa acaba por concluir a compra. Dos consumidores que clicam no anúncio, 55% acabam por não comprar e 37% concluem a compra (24% compram offline e 13% on-line).

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Zmar tem novos directores para os Departamentos Comercial e de Marketing
Automonitor
Confirmado: Peugeot 508 Sport Engineered chega em 2020