Pedidos de comida ao domicílio cresceram 130% em 2018

Em apenas dois anos, os pedidos de comida para entrega ao domicílio via equipamentos móveis saltaram 130%, a nível mundial. A conclusão é da App Annie, empresa de software de analytics, cujos dados apontam também para um crescimento de 115% no número de downloads das cinco principais aplicações de entregas, entre 2016 e 2018.

Até 2020, as encomendas digitais a restaurantes deverão triplicar em volume, aponta também o NDP Group, sublinhando o papel de destaque que as soluções mobile terão neste crescimento.

A eMarketer Retail, por seu turno, enfatiza como as cadeias de fast-food contribuem para a mudança de comportamentos. Os designados quick service restaurants (QSRs) estão entre os que mais apostam na entrega de comida: exemplo disso é a McDonald’s, que lançou o McDelivery em parceria com o Uber Eats em 2017 e que no espaço de um ano conseguiu atingir o marco dos cinco mil restaurantes abrangidos, só nos EUA. A Burger King segue o mesmo caminho e já tem o serviço de entregas disponível em três mil dos sete mil restaurantes da marca nos EUA.

Por países, o crescimento de sessões em aplicações Android da área de Alimentação & Bebidas aumentou 325% em França, no ano passado. Este foi o mercado com o maior salto, à frente da Coreia do Sul (230%), Canadá (215%), Reino Unido (180%), EUA (140%), Índia (120%), Japão (45%), Brasil (45%) e Alemanha (45%) – dados da App Annie de 2016 vs 2018.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
7 formas para se voltar a apaixonar pelo seu trabalho
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo