Parceria da Sagres com a EGEAC válida por três anos

Já era sabido que a Sagres seria a cerveja oficial das Festas de Lisboa, mas hoje a marca cervejeira anunciou que a parceria com a EGEAC será válida até 2020, alargando-se também a outros eventos organizados por esta entidade.

O acordo firmado pela Sociedade Central de Cervejas (SCC), que abrange o seu portefólio de cervejas, águas e sidras, estender-se-á também ao evento Lisboa na Rua e à Festa de Passagem de Ano.

«A Cerveja Sagres volta a ser o patrocinador das Festas de Lisboa, cidade onde a marca nasceu e começou a ser produzida, em 1940, e com a qual tem uma relação natural e privilegiada. Estamos muito entusiasmados e empenhados em voltar a ser parceiros da EGEAC e da Câmara Municipal de Lisboa para tornar estas festas inesquecíveis para os lisboetas e para todos os que visitam a nossa cidade. Esta parceria, juntamente com todas as outras acções que temos desenvolvido localmente, é mais um exemplo do nosso compromisso com Lisboa», explica Nuno Pinto de Magalhães, director de Comunicação e de Relações Institucionais da SCC.

Para além de se associar a uma vivência cultural da cidade de Lisboa, esta parceria tem também como objectivo conferir uma maior consciência sustentável às Festas de Lisboa.

«Depois de alguns anos de ausência, a Sagres regressa às Festas de Lisboa como patrocinador principal, com o compromisso de requalificar o evento, tornando-o mais sustentável. E começará pelos copos utilizados nas Festas, que serão reutilizáveis», refere Joana Gomes Cardoso, presidente da EGEAC, na apresentação das Festas de Lisboa, no mercado de Arroios.

No evento, que contou com a presença do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, foram dados a conhecer alguns dos destaques das Festas de Lisboa de 2018, que arrancam no dia 1 de Junho. Consulte aqui o programa completo.

Texto de Rafael Paiva Reis

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Isabel Barros distinguida com prémio «Excelência» na liderança. Foi a única portuguesa
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual