Paladin: milhões aos molhos

Duplicou a facturação no espaço de cinco anos e, em 2015, chegou aos 30 milhões de euros. A Mendes Gonçalves, detentora, entre outras, da marca de molhos e temperos Paladin, quer continuar a crescer em Portugal e no estrangeiro, onde está presente em 30 países

Texo de Rafael Paiva Reis

Tudo começou com um vinagre de figo, a partir do fruto oriundo de produtores da Golegã. O produto, pouco habitual, dava início à Mendes Gonçalves, empresa que tem como porta-estandarte a Paladin e, 36 anos após a fundação, conta com mais de 200 referências e regista uma facturação de 30 milhões de euros

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Setembro de 2016 da revista Marketeer.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo