«O melhor influenciador é o que acredita no que faz»

Bruno Salomão Reis de Pinho, country manager da SocialPubli.com em Portugal, considera que os influenciadores podem ser fundamentais para uma marca. As taxas elevadas de engagement e a capacidade de gerar conversa em torno de uma insígnia poderão ser algumas das mais-valias.

Em antecipação da masterclasse que irá orientar na Flag já este mês, o responsável explica à Marketeer quais as áreas que mais estão a crescer no campo do Marketing de Influência, quais os cuidados que as marcas devem ter na hora de escolher um parceiro e como medir o impacto destas parcerias.

Quais são as áreas temáticas que mais se destacam (categorias) em termos de Marketing de Influência?

De acordo com o “I Estudo Global de Microinfluenciadores” da SocialPubli.com, os sectores com mais futuro no Marketing são, por ordem de importância, os seguintes: Moda, Viagens, Beleza, Tecnologia, Estilo de Vida, Videojogos, Marketing, Gastronomia, Humor, Família, Cultura e Espectáculos, Desporto, Casa e Decoração, Notícias e Actualidade, Animais de Estimação, Economia e Empresa, Ciências e Meio Ambiente e, por fim, Automóvel.

Quais são as três características que definem um influenciador de sucesso?

Em primeiro lugar, a qualidade das publicações (fotos e vídeos bastante cuidados), também a capacidade de gerar interacções (likes e conversas) com os seus seguidores e, como é óbvio, a credibilidade no que fazem.

Como podem as marcas aproveitar este fenómeno?

Os influenciadores, e especialmente os perfis micro e nano, podem converter-se em pilares fundamentais para uma marca, pois têm uma alta taxa de engagement. A maioria dos seus seguidores corresponde a amigos, conhecidos e familiares que confiam nas recomendações e conselhos que transmitem através das redes sociais. Geram conversas em torno das marcas, além de demonstrarem sensações positivas sobre elas.

Como escolher o melhor influenciador para cada marca?

Os melhores influenciadores são os que acreditam nas recomendações que fazem nas suas redes sociais e que descartam falar de algum produto ou marca com o qual não se sentem identificados. A sua confiança numa marca e em aconselhar porque gostam de determinado produto ou serviço que cumpre com as suas expectativas está acima dos interesses económicos.

Quais podem ser as principais desvantagens de trabalhar com influenciadores?

Os principais inconvenientes costumam estar relacionados com encontrar os melhores perfis, devido ao preço praticado e à lentidão dos acordos entre ambas as partes. No caso dos microinfluenciadores inscritos em plataformas como a Social Publi.com, os processos de gestão de cada campanha são muito mais ágeis. Desde o início, os anunciantes explicam tanto os requisitos como o orçamento que têm disponível para uma determinada campanha e os influenciadores decidem se aceitam ou não participar.

Quando a associação com um influenciador corre mal, que podemos fazer?

Pela nossa experiência, é algo que pode acontecer sobretudo quando o influenciador não se identifica completamente com os valores da marca. Por isso, é fundamental apostar por influenciadores que estejam motivados em comunicar uma campanha que se identifiquem com os seus valores, pois o engagement com os seus seguidores também será bastante superior ao daqueles influenciadores que falam de marcas e produtos sem qualquer tipo de distinções.

Como medir o impacto de uma campanha de influenciadores?

Felizmente os resultados das campanhas que se realizam com os influenciadores podem ser medidos com cada vez mais detalhes: taxa de engagement, impactos nas redes sociais, tráfego para a página web da marca… Neste momento, temos pendente poder calcular o ROI com maior exactidão, pois este depende de factores externos mais além das campanhas que os influenciadores façam nas redes sociais.

 

Nota: Bruno Salomão Reis de Pinho vai orientar uma masterclass na Flag (Porto), entre os próximos dias 9 e 16, sob o mote “Influencer Marketing”. De 30 de Março a 6 de Abril, é a vez de Lisboa receber a formação.

No mês de Abril, a Flag terá masterclasses sobre “Criação & Estratégia de Websites e-Commerce” (Diogo Cruz) e “UX Strategy” (Hugo Froes), nas instalações do Porto e Lisboa, respectivamente.

Texto de Filipa Almeida

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Os horários de trabalho e as horas que trabalhamos!
Automonitor
Novo Jazz lidera eletrificação da Honda