Orange à procura da primeira loja em Portugal

A Orange está a equacionar a abertura de uma loja própria em Lisboa, uma medida inserida no novo plano estratégico da empresa de telecomunicações francesa, que planeia investir 15 mil milhões de euros em conectividade até 2018.

A empresa estuda a possibilidade de abrir lojas próprias em Portugal. Actualmente, conta apenas com três corners no país, em Lisboa, Porto e Faro. Ao invés de estar presente em mais espaços do género, a Orange pretende abrir a sua primeira loja em Lisboa. «Queremos perceber o mercado, o país, o consumidor e a partir daí adaptar a nossa oferta ao mercado português. A abertura de uma loja poderá dar-nos indicadores importantes», afirmou em conferência de imprensa que decorreu hoje, em Lisboa, Romeo Machado, country manager da Orange Horizons em Portugal, subsidiária do grupo Orange que actua nos países onde a marca não está presente.

Entretanto, face à possibilidade da Orange vir a adquirir a Oni ou a Cabovisão, o presidente da Orange Horizons referiu que a empresa está sempre «a estudar oportunidades de agregação», ainda que se tenha escusado a responder se a Orange iria avançar para a compra de uma das duas empresas.

O plano estratégico para cinco anos, denominado Essentials2020, tem como objectivo proporcionar uma maior conectividade aos seus clientes, independentemente do país onde estiverem. O objectivo passa por triplicar a velocidade média de dados, em comparação com 2014, tanto na rede fixa como na móvel. «Queremos oferecer uma maior conectividade aos nossos clientes. Queremos que estejam sempre conectados. Para tal, temos de reinventar o nosso relacionamento com os mesmos. Vamos construir um modelo de empregador digital, orientado para as pessoas. Este objectivo será alcançado no âmbito de uma empresa que seja eficiente, responsável e digitalmente competente», afirma Sébastien Crozier, CEO da Orange Horizons.

A empresa conta como o Orange holiday, um cartão SIM que inclui duas horas de chamadas para telemóveis e telefones fixos a partir da Europa para todo o mundo. Somam-se 1000 SMS e um gigabyte de dados. Para promover este cartão em Portugal, cujo preço está cifrado em 42 euros, foi estabelecida uma parceria com a Netviagens.com, que promoverá o cartão no site e travel lounge da agência, em Lisboa.

Romeo Machado faz um balanço positivo dos últimos 18 meses da empresa em Portugal. Relativamente à loja online, a a performance tem sido satisfatória, tendo o valor médio das compras crescido 26,6% de Janeiro a Dezembro de 2014, para os 201,70 euros. A loja online disponibiliza agora a venda B2B apresentando uma nova solução para este tipo de clientes. A Orange quer alargar a sua actividade a empresas de média dimensão.

A operadora irá ainda reforçar a sua aposta na Orange Radio, um serviço de acesso ilimitado a rádios de diversos países que contará brevemente com um novo site. Em 2014, a aplicação registou mais de 90 mil downloads, tendo ainda sido instalada em mais de 55 mil modelos da Renault. Em Junho será lançada a Orange Ritmic, uma plataforma de música e vídeo, cujos detalhes serão dados a conhecer brevemente.

Até 2018, o grupo Orange tem como objectivo ultrapassar os mil milhões de euros em receitas.

Texto de Rafael Paiva Reis

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Pedro Mota Soares assume liderança da Apritel
Automonitor
Novo Skoda Octavia chega dia 11 de novembro