Opinião de João Epifânio (Altice): A História do Leão que vem de França (Parte 1)

Por João Epifânio, Chief Sales Officer B2C, Altice

 

Em 2017, as Nações Unidas reconheceram, através da Resolução n.º 71/284, o 21 de Abril como o Dia Mundial da Criatividade e da Inovação, internacionalmente conhecido como World Creativity Day, iniciativa que acredita na importância do pensamento multidisciplinar criativo, a nível individual e colectivo, para encontrar soluções para problemas globais, em particular os que dizem respeito às metas do desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. Lamentavelmente, 2022 ficará na história como o ano da invasão da Ucrânia (sim, invasão!…). Tal como em 7 de Dezembro de 1941 (dia do ataque das forças do Império do Japão aos EUA), o 24 de Fevereiro, data da invasão das forças russas à Ucrânia, ficará conhecido como “O Dia da Infâmia”, tal como proclamado por Franklin Roosevelt no seu discurso ao Congresso, pelo facto do ataque acontecer enquanto ainda se mantinham contactos diplomáticos para uma solução pacífica, teoricamente defendida por todas as partes.
Por esta altura imagino que se perguntem o que tem a ver o Dia da Criatividade e da Inovação com a Guerra da Ucrânia… Peço um pouco de paciência e latitude que tudo se alinha no final…
Raras vezes, durante as nossas carreiras, temos a oportunidade de ser determinantes no âmbito da nossa actividade e exercer influência que permita chamar a atenção do mundo para os mais graves problemas que a humanidade enfrenta.
A marca MEO tem no ADN a criatividade e inovação, que transformou a forma como os portugueses consomem conteúdos, motivo bastante para a conquista da liderança do serviço de “pay TV”, caso único a nível mundial de um operador que lança um serviço de “pay TV” com zero clientes e consegue assumir a liderança. Para tal contamos com a inovação decorrente do nosso ADN tecnológico, mas também de uma porta sempre aberta à criatividade e à capacidade de assumir “risco”, que se tem traduzido em reconhecimentos e prémios ao longo dos anos. Neste percurso, a MEO assumiu desde 2018 o propósito de ser uma marca de causas, procurando retribuir à sociedade a liderança conquistada. E abraçou temas como a violência doméstica, igualdade de género ou a promoção de iniciativas tendentes ao desenvolvimento de práticas sustentáveis. Foi também a primeira marca a tomar uma posição inequívoca em menos de 24 horas após a invasão da Ucrânia, oferecendo as chamadas para o país, bem como o pack premium de canais ucranianos a todos os que o pretendessem, como forma de garantir à comunidade o contacto com familiares e acesso aos conteúdos noticiosos do seu país.
É neste contexto que a Bar Ogilvy nos aborda com a proposta de assumirmos a campanha Breaking Sirens para a Amnistia Internacional, vencedora de um Leão de Ouro. Não perca toda a história (e peripécias) deste Leão de Ouro na próxima edição da Marketeer.

Artigo publicado na revista Marketeer n.º 313 de Agosto de 2022

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...