Sustentabilidade: como avançar da visão para a ação

MARKETEER CONTENTS

A Sustainable Society Initiative (SSI), consultora de comunicação com experiência e conhecimento em sustentabilidade do Grupo GCI, acaba de lançar o Programa Sustainability Compass Suite.

Composto por uma série de três workshops práticos, personalizáveis e independentes, o Programa tem como missão ajudar a organização a colocar os seus principais desafios de sustentabilidade no centro do seu posicionamento e da sua estratégia de negócio.

“Os workshops destinam-se principalmente às PME e marcas nacionais que desejam agir em prol de uma mudança socioambiental positiva, mas também estão abertos às ONGs, entidades públicas e consultores que queiram desenhar um novo futuro coletivo e fazer parte da mudança”, explica Charlotte Mure-Ravaud, Manager da SSI, em entrevista à Marketeer.

As empresas têm um papel a desempenhar neste caminho da sustentabilidade? O que está realmente ao alcance das organizações?

2021 apresenta-se como um ano de impulso para a mudança. E, a procura social para que as empresas integrem as questões de desenvolvimento sustentável nas suas decisões tem vindo a acelerar-se e a alastrar-se gradualmente às PME. Com efeito, no centro do tecido económico dos territórios, as empresas são atores fundamentais para a sustentabilidade local e nacional, incentivando uma transição mais justa, equitativa e sustentável ao nível do território.

É cada vez mais urgente que as empresas se envolvam com estas questões, num contexto em que a administração pública já não tem mais o monopólio do interesse geral. É preciso uma mudança radical na escala e profundidade do seu envolvimento.

Atualmente, as empresas têm o poder de mudar o status quo (por meio de inovação, investimento, engagement, etc.) ajudando o sector público a dar uma resposta às necessidades sociais não atendidas – de uma forma mais rápida que a regulamentação e mais efetiva que a política. Têm o poder de intervir e resolver os transtornos que afetam a sociedade – desde as emissões de CO2 aos resíduos plásticos, seja alterando as suas práticas e mobilizando o seu ecossistema para fazer avançar as normas sociais.

As metas traçadas pela ONU vieram acelerar o compromisso das organizações para com uma estratégia mais sustentável?

O contexto atual torna a integração dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS – Programa Agenda 2030) mais decisiva do que nunca para garantir o futuro, pois estes representam um ponto de referência para o desenvolvimento dos vários atores económicos.

Seis anos após a sua adoção, os ODS são agora parte integrante das estratégias de comunicação corporativa em todo o mundo. No entanto, eles são usados mais como um guia ou quadro de referência para apoiar e estruturar as estratégias de Responsabilidade Social Corporativa (RSC), do que como uma ferramenta para ação e transformação concretas.

De acordo com estudos recentes, as empresas destacam a dificuldade de tornar os ODS, destinados principalmente aos Estados, um guia verdadeiramente operacional na sua estratégia. E isto, mesmo tendo ao seu dispor instrumentos de correspondência com referências do tipo ISO ou GRI, ou mesmo o “SDG Compass Guide” (desenvolvido pela GRI, UN Global Compact e WBCSD), que visam orientar as empresas. Enquanto os ODS ainda são um objeto demasiado teórico, muitas empresas procurando ferramentas para aprimorar a sua contribuição.

Por outro lado, os ODS debatem-se com a luta para saírem de departamentos especializados e serem disseminados em todos os níveis da empresa, de maneira mais ampla, chegando aos colaboradores.

Também, no caso das PME, limitadas pela sua falta de recursos (humanos e financeiros), nem sempre têm meios para se envolverem em abordagens de sustentabilidade cujos conceitos ainda permanecem demasiado abstratos para os seus executivos e colaboradores. Do mesmo modo, as ferramentas geralmente desenvolvidas por ou para as grandes empresas nem sempre parecem facilmente mobilizáveis nas PME.

No entanto, acreditamos que os ODS podem ser uma mudança de jogo para o planeta e que as empresas podem ajudar a acelerar a transição, se forem desenvolvidas soluções de alinhamento mais ágeis, inclusivas e colaborativas, que se adaptem às capacidades, cultura e objetivos de qualquer tipo de negócio.

É urgente passar da visão à acção?

A sustentabilidade não é uma questão de comunicação ou pequenos ajustes a serem feitos à margem do modelo global da organização e das suas práticas, mas, acima de tudo, uma mudança cultural profunda: para a conseguirem ou a iniciarem efetivamente, as empresas devem sobretudo reimaginar o futuro e a narrativa coletiva, e acima de tudo, transformar palavras em ações, concebendo um verdadeiro plano de ação com objetivos práticos e mensuráveis.

Ademais, a atual crise está a provocar um momento de rutura não só das trajetórias das sociedades, mas também dos paradigmas que as sustentam, o que implica uma crescente necessidade de ações rápidas e eficazes de todos os atores económicos.

SUSTENTABILIDADE É UM MUDANÇA CULTURAL PROFUNDA

 

O Programa Sustainability Compass Suite tem como objectivo ajudar as PME e as marcas nacionais a definirem, de forma prática, uma estratégia sustentável para um futuro a curto/médio prazo?

Apoiamos as organizações a transformar o seu negócio, com foco no envolvimento do seu capital humano, desencadeando a cooperação e a partilha de conhecimento.

Nesta perspetiva, o Compass Sustainability Suite é um conjunto de workshops práticos, personalizáveis e independentes que proporcionam conhecimentos e capacitam empresas e equipas, em torno de temas-chave de sustentabilidade, que permitem identificar e atuar sobre os impactos e as oportunidades de sustentabilidade de qualquer negócio:

  • Estratégia ESG (para abraçar as melhores práticas de sustentabilidade e alavancar o potencial dos ODS),
  • Circularidade (para criar passos concretos para a inovação circular dos produtos e processos),
  • Alterações climáticas (para definir a estratégia climática e reduzir as emissões de carbono).

Para tal, criamos uma metodologia que visa ajudar as PME e marcas nacionais a colocarem os seus principais desafios de sustentabilidade no centro do seu posicionamento e da sua estratégia de negócio – através de uma abordagem:

  • Colaborativa (com exercícios de co-design e creative thinking, onde cada um pode contribuir para a visão de futuro da empresa),
  • Prática (via passos concretos e operacionais, que qualquer empresa possa apropriar-se de acordo com as suas prioridades).

Serão, ao todo, três workshops disponíveis. Quais são as diferenças de conteúdo entre eles? São “acumuláveis” ou estrategicamente separados?

Os workshops de cariz prático dividem-se em:

ESG Compass permite à organização iniciar ou reforçar a sua jornada de sustentabilidade, e alinhar a sua estratégia com os ODS, bem como com as melhores práticas de ESG (Environmental, Social & Governance) no mercado. Apresenta 7 passos-chave:

  • Introdução à sustentabilidade
  • Definição da missão socioambiental
  • Mapeamento dos impactos
  • Sensibilização e mapeamento dos ODS
  • Estratégia de sustentabilidade
  • Matriz de materialidade
  • Definição das metas de sustentabilidade

Circular Compass ajuda a organização a inovar, através do conceito de creative thinking, e a explorar o impacto das oportunidades circulares. Aplicado a produtos e processos, o Circular Compass promove o desenvolvimento de inovações à prova de futuro, focando-se na criação de um ecossistema circular. Apresenta 7 passos-chave:

  • Mapa contextual
  • Análise do ciclo de vida
  • Mapeamento dos stakeholders
  • Identificação das oportunidades circulares
  • Redesenho do fluxo circular
  • Definição do storytelling circular
  • Criação da proposta de valor

Climate Compass traça passos práticos para que a organização possa identificar onde está e onde pode progredir ao longo da sua jornada de resiliência climática. Como parte deste workshop, as equipas exploram de forma lúdica oportunidades de transição, associando três conceitos: mitigação, adaptação e transformação. Apresenta 7 passos-chave:

  • Inventário das emissões de GEE
  • Cálculo das emissões de GEE
  • Definição das metas científicas
  • Plano de ação climático
  • Priorização das ações
  • Compensação das emissões de GEE
  • Definição da narrativa climática

No fundo, todos os nossos workshops visam democratizar os princípios de sustentabilidade, e facilitar um terreno comum para formular uma política inovadora para as organizações. Oferecem um ponto de partida para tornar ambições em realidade e abraçar uma verdadeira liderança sustentável.

Para quem são direccionados? Qualquer entidade o pode fazer?

Os workshops destinam-se principalmente às PME e marcas nacionais que desejam agir em prol de uma mudança socioambiental positiva – independentemente de onde se situam na jornada de sustentabilidade, bem como do seu sector de atividade e da sua dimensão. Mas também estão abertos às ONGs, entidades públicas e consultores que queiram desenhar um novo futuro coletivo e fazer parte da mudança.

Quando começam os workshops e em que formato serão ministrados?

Estamos na fase de pré-lançamento do Programa Sustainability Compass Suite. Como tal, disponibilizamos às três primeiras empresas que se inscrevam até 15 de novembro a versão premium do workshop “ESG Compass” com 50% de desconto. A inscrição deve ser efetuada através do e-mail geral@sustainablesociety.global ou via o nosso website https://ssi-workshops.com/

Os workshops são ministrados online através de uma videoconferência e de uma plataforma de brainstorming e ideação.

Qual a diferença entre a versão premium e standard?

Todos os nossos workshops apresentam dois formatos, financeiramente acessíveis às PME:

  • O standard, mais básico, que dá início a uma boa exploração dos conceitos de sustentabilidade (conta com duas horas de workshop, um formulário interativo e um relatório final), e,
  • O premium, mais completo, que permite articular um sólido e holístico plano de ação de sustentabilidade através de uma abordagem experimental (inclui sete horas de workshop, um relatório final e uma sessão de follow-up).

Independentemente do formato, recomendamos a participação de dois a cinco colaboradores – independentemente do nível de responsabilidade e da função dentro da organização.

Quem tiver interesse, como se pode inscrever?

Estamos completamente disponíveis através do email geral@sustainablesociety.global ou através do nosso website https://ssi-workshops.com/

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...