Novo operador português de charter levantou hoje voo

windaviaChama-se Windavia, é um novo operador português de charter, e fez hoje o seu voo inaugural naquele que se tornou o voo comercial mais curto da história de Portugal continental, com uma duração de entre 15 e 20 minutos: Lisboa-Beja-Lisboa. Um destino simbólico, na medida em que a Windavia informa querer apostar no transporte de passageiros de e para o aeroporto alentejano.

O novo operador é detido em 49% por Pedro Bollinger e em 51% por um investidor português que prefere o anonimato, sendo que o primeiro voo comercial será no próximo dia 17, data em que a Windavia, em parceria com o operador turístico GPS Tours, vai convidar alguns operadores turísticos para almoçar na Madeira, de forma a promover o destino.

A partir dessa data, e segundo Pedro Bollinger, começa a operar com dois voos semanais Paris-Funchal na época festiva, passando depois para um voo por semana e, no Verão, para quatro voos semanais.

A Windavia – que voará com quatro aviões Airbus A320 e está a “finalizar” o contrato de mais duas aeronaves – afirma ter “mais de 50 milhões de euros em contratos assinados”, e de ter chegado a acordo com os principais operadores israelitas pelo que, no início da época alta, começará a voar uma vez por semana para Israel.

Ainda de acordo com Pedro Bollinger, a companhia irá «começar a voar durante todo o verão para Beja, a partir de Paris e das principais cidades francesas».

No total e até ao momento, a Windavia tem mais de quatro mil voos contratados com os principais operadores [turísticos] para voar desde Lisboa, Madeira e Paris para os principais destinos de sol e praia no sul da Europa, nomeadamente Algarve, Madeira, Ilhas Canárias, ilhas gregas e norte de África”, a partir da próxima semana e até 31 de Dezembro de 2014, segundo Pedro Bollinger.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Transformação digital na Gestão de Pessoas: como está a evoluir?
Automonitor
Volvo quer impacto climático neutro em 2040