No novo marketplace da SYGPoint, as empresas podem gerir programas de fidelização e os consumidores são remunerados

MARKETEER CONTENTS

Programas de fidelização e cartões de pontos fazem parte da rotina diária dos consumidores, mas a SYGPoint percebeu que existia uma oportunidade para aumentar e melhorar a relação entre empresas e consumidores.

Nesse sentido, a SYGPoint acaba de lançar um marketplace, com o objectivo de digitalizar a relação entre empresas e consumidores, permitindo não só a criação e gestão mais eficaz de campanhas, mas, sobretudo, de aumentar as oportunidades de contacto com os consumidores.

Nesta relação, os consumidores têm a grande vantagem de serem “remunerados” com SYGs, a moeda oficial da plataforma, pelo seu envolvimento com as marcas e com as campanhas, participando nos módulos de gamificação. As SYGs podem, depois, ser convertidas em gift cards dos principais retalhistas presentes na plataforma. «Além disso, podem gerir num único sítio todos os seus cartões de pontos e passarem pontos de uns programas para os outros, se assim o desejarem», adianta a marca.

A SGYPoint começou a ser desenvolvida por José Trigo em 2019, que criou em 1997 a Premium Rate, e que viu na transição digital uma oportunidade de inovar o seu próprio negócio, aumentando o leque de oportunidades para os seus clientes e para os consumidores finais. «Percebemos que podíamos criar uma panóplia de opções adicionais para as empresas interagirem com os consumidores e para estes tirarem benefício dessas interações. Na prática, ao contrário das Bigtech, na SYGPoint valorizamos toda a informação que o consumidor quiser partilhar com as empresas. Por exemplo, se o consumidor responder a um questionário, assistir a um vídeo, ou participar num quizz, recebe Sygs, que depois pode utilizar para trocar por produtos ou serviços reais, uma vez que cada SYG tem, na plataforma, uma correspondência em euros», refere o mesmo responsável.

Nas palavras de José Trigo, a SYGPoint é «uma plataforma digital em que o consumidor é remunerado pelo engagement com as marcas». E tudo começou antes da pandemia após uma auscultação que o profissional fez junto dos seus clientes da Premium Rate: «Pedi a ajuda e o conselho a alguns amigos que estão nos Estado Unidos a trabalhar em grandes empresas. Com todos estes contributos, fomos fazendo o desenvolvimento in-house da plataforma, com uma equipa de cinco programadores e dois consultores em UX – User Experience –, até chegarmos a esta solução. Já temos algumas empresas dispostas a utilizar e esperamos ter final do ano cerca de 100 clientes na plataforma.»

Para já, querem ser «o maior ecossistema B2C em Portugal, enquanto plataforma de comunicação, interação e fidelização com os consumidores». Quanto ao futuro, José Trigo refere que «o caminho para a internacionalização e a globalização do negócio vai ser um processo natural, porque temos a expectativa de que as grandes empresas com quem trabalhamos e com quem iremos trabalhar em Portugal, que são globais, nos possam levar com elas para outras geografias. A proposta de valor é muito forte e estamos confiantes que nos próximos anos estaremos a operar em várias geografias».

Ler Mais



loading...
Artigos relacionados

Comentários estão fechados.