Mercado português de telefones móveis estará a recuperar?

O mercado português de telefones móveis registou um novo trimestre de crescimento negativo, segundo o relatório “European Quarterly Mobile Phone Tracker” da IDC. Durante o segundo trimestre deste ano foram vendidas 1,4 milhões de unidades em Portugal, o que correspondeu a uma quebra de 9% face ao período homólogo de 2008. No entanto, e apesar dos resultados negativos, as vendas aumentaram 36% face ao primeiro trimestre ano, o que constitui uma melhoria sensível das condições do mercado.

Neste contexto, e durante os dois primeiros trimestres do ano, foram afectados quer o segmento de telefones “tradicionais”, quer o de smartphones. Ao contrário do resto da Europa, que continua a assistir ao crescimento de vendas no segmento de smartphones, em Portugal assistiu-se a uma queda, em termos homólogos, de 10% nas vendas deste segmento durante o segundo trimestre de 2009, depois de um decréscimo de 39% no trimestre anterior.

Já o segmento dos telefones “tradicionais” apresentou um decréscimo de 9%, depois de ter caído 20% durante o primeiro trimestre de 2009, o que demonstra, no contexto da retracção da procura, uma opção por parte de mais consumidores portugueses por telefones de gama baixa a preços reduzidos.

No conjunto das duas categorias, e entre os principais fabricantes, a Nokia continua a dominar o mercado português, tendo aumentado as suas vendas em 12% durante o trimestre, o que lhe permitiu atingir uma quota de mercado de 47%. A Samsung assistiu a uma queda nas vendas de 17%, contribuindo para um deslize na quota de mercado para os 33%. A LG mantém a terceira posição com uma quota de mercado de 7%, com as suas vendas a aumentar 11%.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Outubro 2019
Automonitor
Já viu o novo ultracompacto 100% elétrico da Toyota?