Meo e Nos não se entendem sobre Porto Canal

Desde o início do ano que os clientes da Nos têm acesso ao Porto Canal através de um acordo com a Meo, que detém os direitos de comercialização da distribuição do canal. Contudo, a operadora diz que se viu obrigada a suspender o acesso devido à inexistência de uma parceria formal entre as duas operadoras.

A acusação de que não foi apresentada uma proposta concreta surge de ambos os lados. Em comunicado, a Meo afirma “que não existindo evolução na posição assumida desde início pela Nos, não resta a este operador outra solução que não seja a de informar os consumidores e as autoridades competentes de que se vê forçado a tomar a decisão de suspender o acesso da Nos ao sinal do Porto Canal, a partir das 00h00 do dia 11 de Fevereiro de 2016”.

Por seu turno, a Nos comenta, também em comunicado, que “apesar de todos os esforços negociais desenvolvidos pela Nos ao longo das últimas semanas para impedir a suspensão e garantir que os seus clientes continuavam a aceder ao Porto Canal, a Meo revelou-se irrazoável e inflexível, não tendo nunca apresentado qualquer proposta específica para a distribuição deste canal”.

A Meo esclarece ainda que o estabelecimento de um acordo concreto era particularmente importante porque, no próximo mês de Julho, a Nos passará a comercializar os direitos de transmissão do canal Benfica TV e a explorar os jogos do Benfica.

«A Meo assumiu uma postura séria e transparente nesta negociação e apresentou condições concretas para viabilizar a distribuição do Porto Canal pela Nos, assegurando a mesma por um valor moderado, que a partir de Julho de 2016 deveria ocorrer em condições paritárias face aos direitos nessa altura a serem disponibilizados pela Nos», conclui a Meo em comunicado.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Human Resources ultrapassa marca dos 115 000 seguidores no LinkedIn
Automonitor
Vídeo: Mesa redonda da 2ª conferência do AUTOMONITOR