Mentiras no currículo afastam CEO da Yahoo

ceo-yahooA Yahoo anunciou ontem que o seu presidente executivo, Scott Thompson, abandonou a empresa. Apesar de não ter esclarecido os motivos da demissão, o anúncio surge na sequência da denúncia de que Thompson não teria uma das qualificações académicas que constavam no seu currículo.

Scott Thompson, 54 anos, estava na liderança da Yahoo há apenas cinco meses, altura em que substituiu a antiga Chief Executive Officer (CEO), Carol Bratz, despedida por telefone em Setembro passado. Thompson, que antes de ingressar na Yahoo foi presidente da PayPal, não resistiu às suspeitas de ter prestado falsas declarações no seu currículo.

De acordo com as acusações que vieram a público há cerca de dez dias, uma das licenciaturas que Thompson apresentava no seu currículo, nomeadamente em Ciências de Computadores por uma universidade de Boston, apenas foi criada anos depois de o antigo presidente executivo da Yahoo ter deixado a universidade. A denúncia foi apresentada por Dan Loeb, investidor do fundo Third Point, que detém 5,8% da Yahoo e que vinha a questionar a gestão de Thompson à frente da empresa e a reclamar alguns lugares no Conselho de Administração da companhia.

A demissão de Scott Thompson parece colocar um ponto final na contenda entre o Third Point e a Yahoo, uma vez que três membros do fundo de investimento, incluindo Dan Loeb, passam, a partir do próximo dia 16, a integrar o Conselho de Administração da empresa de serviços de internet, de acordo com um comunicado divulgado pela Yahoo.

Segundo o documento, Ross Levinsohn, head of global media Yahoo, foi nomeado CEO interino, enquanto o director Fred Amoroso assume o cargo de presidente, substituindo o presidente não executivo Roy Bostock, que também está de saída da empresa, com efeito imediato.

Apesar de a Yahoo ter tentado retirar alguma da pressão de cima de Scott Thompson ao apelidar as incongruências no seu currículo de um “erro inadvertido”, e de o próprio ter lamentado o sucedido, o caso parece não ter deixado qualquer alternativa a ambas as partes. A demissão de Thompson, que obrigou à quarta alteração na liderança da empresa em apenas três anos, representa um novo revés na empresa sediada em Sunnyvale, Califórnia, que se tem debatido para fazer face à concorrência do Facebook e da Google, que têm dominado as receitas publicitárias. De acordo com a agência Bloomberg, a empresa já perdeu mais de metade do seu valor de mercado desde 2005.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Isabel Barros distinguida com prémio «Excelência» na liderança. Foi a única portuguesa
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual