Marcas pagam a influenciadores para destruir concorrência

As críticas negativas podem valer mais dinheiro aos influenciadores do que as publicações a elogiar determinado produto ou serviço, especialmente no sector da beleza. Fontes citadas pelo The Verge denunciam uma nova prática no meio: as marcas estão a pagar a instagrammers e youtubers, por exemplo, para relatarem más experiências com artigos rivais.

De acordo com as mesmas fontes, este tipo de críticas poderá envolver mais dinheiro, incentivando os influenciadores digitais a ir por este caminho. O maquilhador Kevin James Bennet aponta para valores entre 75 e 85 mil dólares (cerca de 64 e 73 mil euros) por cada crítica negativa.

Desde que Kevin James Bennet decidiu expor a situação – que considera digna de máfia – na sua página de Instagram, outras pessoas começaram a relatar o mesmo tipo de experiência. A influenciadora Pretty Pastel Please, por exemplo, garante que já passou por esta situação e que as empresas estão a pagar para destruir a concorrência.

Além do valor, a discussão gira também em torno da identificação clara de uma publicação patrocinada. Segundo a lei norte-americana, é obrigatório indicar quando um vídeo ou imagem é fruto de um acordo comercial, mas são inúmeros os casos em que isso não acontece.

 

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes 10 benefícios vão ser os mais desejados pelos colaboradores em 2020
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio