Marcas estão a tirar o nome dos logos. Sabe porquê?

Doritos e Mastercard são exemplos de marcas que estão a mudar a forma como se apresentam ao mundo e a retirar os seus nomes dos respectivos logótipos. No caso da Doritos, a explicação apresentada é simples: a insígnia quer estreitar a sua ligação com o público mais jovem, geração que parece não gostar de publicidade demasiado evidente.

Segundo aponta o The Drum, a marca de snacks tem em curso uma campanha sob o mote “Another Level”, que levou à remoção da palavra “Doritos” de toda a comunicação – desde anúncios publicitários à presença em redes sociais. A partir de agora, o triângulo da insígnia surge acompanhado por “Logo Goes Here”.

A esperança é de que a imagem de Doritos seja tão conhecida que os consumidores consigam identificar a marca sem a necessidade de ter o nome lá escrito. O mesmo acontece com a Mastercard, que também está a eliminar o nome tendo em vista uma imagem mais moderna e simples.

De acordo com John Shaw, CSO da agência Superunion, existem vantagens e desvantagens numa estratégia como esta. Por um lado, as marcas passam a assumir uma imagem com menos barulho e, por isso, mais amiga de equipamentos móveis e de ambientes digitais. Além disso, insígnias que queiram crescer para lá do mercado ocidental poderão beneficiar de uma imagem sem letras – muitas vezes, as letras utilizadas não têm qualquer significado noutras geografias e culturas.

Por outro lado, é necessário garantir que a marca é suficientemente grande para sobreviver sem nome. E caso se verifique essa condição, existe ainda outro risco à espreita: marcas que são reconhecidas só pelo logo não vão captar novos clientes; vão apenas manter e fidelizar aqueles que já as conheciam.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Airbus vai ter open day. Há 90 vagas para fábrica portuguesa
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift