Lucros da Sonae recuam 38% em 2011

Paulo AzevedoA Sonae SGPS fechou o ano passado com um resultado líquido atribuível aos accionistas de 103 milhões de euros, o que representa uma quebra de 38% face aos 168 milhões de euros arrecadados em 2010.

No mesmo período, o volume de negócios da dona do retalhista Continente diminuiu 2% para 5,74 mil milhões de euros, acompanhado por uma queda de 8% dos resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA), que totalizaram 671 milhões de euros. Apesar disso, a margem EBITDA recuou apenas 0,8 pontos percentuais para 11,7%, segundo um comunicado enviado pela empresa à CMVM, o regulador do mercado de valores mobiliários.

Os resultados consolidados da Sonae SPGS foram, sobretudo, pressionados negativamente pela “contração do consumo privado nos mercados ibéricos”, que contrariou o crescimento no mercado brasileiro, e pelo “forte aumento das taxas de juro exigidas pelos bancos portugueses”, explica no comunicado Paulo Azevedo, CEO do grupo. Pelo lado positivo, o responsável enaltece a “sustentação de margens EBITDA e aumentos de quotas de mercado, assim como uma nova redução significativa do endividamento consolidado”.

No ano passado, a Sonae baixou a dívida total líquida em 146 milhões de euros em relação a 2010, para 2,7 mil milhões de euros. O investimento do Grupo ascendeu a 475 milhões de euros, mais 15% face ao ano anterior.

Mais de metade (57%) do volume de negócios do Grupo foi gerado pela Sonae MC, unidade da qual faz parte o Continente, que aumentou o volume de negócios em 2% para 3,33 mil milhões de euros.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Qual é, afinal, o papel do líder?
Automonitor
Maratonas condicionam trânsito em Lisboa (conheça as vias afetadas)