Louis Vuitton lidera empresas de luxo

Os consumidores estão a mudar e os consumidores de luxo não são excepção, por isso, as marcas globais deste segmento devem apostar na integração das novas tecnologias nas suas operações e ainda no reforço das relações com os millennials. Estas são as principais conclusões do Global Powers of Luxury Goods 2015, elaborado pela Deloitte.

Os resultados revelam que o grupo francês LVMH Moët Hennessy – Louis Vuitton representa um bom exemplo, tendo conquistado o primeiro lugar no ranking das maiores empresas de produtos de luxo. O grupo, que inclui marcas como a Louis Vuitton, Fendi, Donna Karan e Marc Jacobs, atingiu os 19,4 mil milhões de euros (21,8 mil milhões de dólares) em vendas, em 2014.

Em segundo lugar ficou a suíça Compagnie Financiere Richemont com 11,9 mil milhões de euros em vendas (13,4 mil milhões de dólares). O catálogo de marcas do grupo engloba nomes como a Cartier, Montblanc, Piaget e Chloé. Já o terceiro lugar das maiores empresas de artigos de luxo vai para a americana The Estée Lauder Companies com 9,8 mil milhões de euros (11 milhões de dólares) em facturação e marcas como a Estée Lauder, M.A.C. e Clinique sob a sua alçada.

Ao todo, as cem maiores empresas de produtos de luxo geraram vendas que ascenderam aos 190 mil milhões de euros (214,2 mil milhões de dólares), em 2014, o que representa um crescimento de 8,2% face a 2013.

Quanto a tendências, Luís Belo, partner e líder da indústria de consumer business da Deloitte, explica em comunicado que «alguns aspectos chave da indústria do luxo ficarão irreconhecíveis nos próximos dois anos». As mudanças passarão, essencialmente, pela força do digital pelo que «as marcas de luxo globais têm de superar os desafios para maximizar a relação com os seus consumidores aficcionados pelo digital, sensíveis ao tempo e socialmente conscientes ou arriscam-se a ficar para trás», garante o executivo.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Esta ferramenta promete vir revolucionar a Segurança e Saúde no Trabalho
Automonitor
Está grávida? Veja o que deve (e não deve) fazer se for conduzir