Lightbox é novo formato de publicidade da Google

De um lado, o Facebook anuncia que os cliques não são tudo. Do outro, a Google apresenta um novo formato de publicidade, em que os anunciantes pagam apenas quando há um envolvimento real por parte dos consumidores.

Dá pelo nome de Lightbox a proposta para anunciantes que a gigante tecnológica adianta, no seu blogue, ser “a primeira de uma nova família de anúncios display, que vão permitir aos marketeers pagar apenas quando o utilizador se envolve”.

O Lightbox parece um anúncio comum mas expande-se para uma tela no centro da página, deixando opaco o restante conteúdo, quando fica sob o cursor do rato por dois segundos.

Em testes internos, a Google chegou à conclusão de que este formato elimina quase 100% das expansões acidentais e aumenta o nível de envolvimento entre seis e oito vezes mais do que os habituais anúncios que implicam um clique para que se expandam. O resultado? “Os utilizadores só se envolvem com os anúncios que querem realmente ver, e os marketeers pagam apenas por visualizações que verdadeiramente geraram envolvimento”, continua a empresa no seu blogue.

Num outro ponto, e para “ajudar as marcas a equiparem-se para atingir todo o potencial da web”, adianta a Google, a empresa criou o Google BrandLab, um espaço físico onde procura colaborar de perto com marcas e agências. Coca-Cola, Nissan e Toyota estão entre os anunciantes que já integraram este projecto, no qual a companhia trabalha com as marcas para que possam recorrer à tecnologia da Google “de formas criativas e impactantes”.

A Google aproveitou para informar que tem novos dados referentes às suas ferramentas de envolvimento já existentes, como o formato de anúncios em vídeos TrueView. “Olhámos para o impacto nas vendas durante o lançamento de 92 campanhas publicitárias diferentes (e nas duas semanas seguintes a esses lançamentos), e descobrimos que, em média, por cada dólar investido no YouTube, o retorno em vendas foi de 1,70 dólares – 2,4 vezes mais eficiente do que o investimento feito em televisão para as mesmas campanhas”, faz notar a Google.

Os anúncios da empresa contribuíram também para o cumprimento dos objectivos das marcas, continua. “Descobrimos que, em média, os anúncios no YouTube e na rede da Google Display geraram um aumento de 36% nas visitas aos websites das marcas, e um crescimento de 36% nas pesquisas online sobre as marcas (dados internos da Google de 2012)”.

 
Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Qual é, afinal, o papel do líder?
Automonitor
Maratonas condicionam trânsito em Lisboa (conheça as vias afetadas)