LEWIS Global MET: o estudo anual de referência no marketing tem nova edição

MARKETEER CONTENTS

Por Giles Peddy, SVP EMEA na LEWIS

Se no ano passado assistimos ao surgimento de um novo tipo de marketing – a interação quantificada –, este ano descobrimos alguns novos e fascinantes dados estratégicos e táticos. A nossa análise do desempenho de marketing das 300 maiores empresas presentes no ranking Forbes Global 2000 mostra uma clara associação entre o marketing integrado e maior rentabilidade.

 

As 300 principais empresas que analisámos tiveram uma margem média de 12,7% e uma média de lucro de 6,9 mil milhões de dólares. No entanto, as 10 melhores marcas do nosso estudo tiveram uma margem média de quase mais 5% (17,4%) e mais do dobro do lucro médio (14,3 mil milhões de dólares). No outro extremo do ranking, constatámos que as 10 últimas marcas tiveram uma margem média de 8,8% e um lucro médio de 4,4 mil milhões de dólares.

Uma descoberta interessante e um pouco contrária àquilo que seria esperado, é que as empresas mais antigas têm melhor pontuação no MET: as nossas investigações sugerem que as empresas mais antigas têm um forte sentido de inovação, renovação e reinvenção, o que é fundamental para permanecerem relevantes. As empresas mais recentes (com menos de 20 anos ou que passaram por uma fusão) foram muito melhores em marketing digital e otimização de sites do que as organizações mais antigas. Isto demonstra o poder do nativo digital, mas também como as fusões podem ser um catalisador de mudança, eficiência e otimização. Seja incremental ou através de um evento, a mudança, inovação e procura pela excelência devem continuar a ser objetivos principais na estratégia de marketing.

 

 

Quanto maiores são as empresas do ponto de vista financeiro – tendo por base o ranking da Forbes – mais lentas são a responder a questões colocadas, principalmente por e-mail e através das redes sociais. Contudo, a nossa análise demonstrou uma baixa adoção de ferramentas autónomas (ex: chatbots), enfatizando ainda mais a oportunidade que significa para as marcas a utilização de tecnologia, para que possam superar o desafio de escala.

Encontrámos muitas oportunidades em todo o ecossistema de marketing para uma excelente otimização digital. Ilustrando este facto, são várias as marcas que permanecem com fracas estratégias gerais no que toca ao website. A nossa análise mostrou uma subutilização do schema mark-up, da análise de conversação personalizada, das variações de diversos idiomas, da conformidade com a American Disabilities Act, da utilização de vídeo, de ferramentas de teste no website e de formulários de contacto seguros. Sendo uma janela para o cliente e uma ligação para todos os canais sejam eles earned, pagos ou partilhados, o site deve ser visto como algo crucial.

 

 

Finalmente – a base comum entre as marcas mais relevantes do nosso estudo é a capacidade de equilibrar inovação, criatividade, colaboração e eficiência. Este é um insight significativo para todos os profissionais de marketing de nível sénior, que o devem considerar se pretendem gerar valor para as suas organizações. Isto requer uma liderança audaz e foco persistente num alto desempenho. A investigação reforça o facto de as marcas necessitarem atualmente de medir elementos específicos do ecossistema de marketing para atingir o desempenho ótimo, dado que o impacto aos níveis quer de topo, quer inferior continua a ser a referência.

Em 2018, o LEWIS MET Index verificou a importância do engagement marketing, um novo tipo de marketing que procura quantificar e medir o desempenho de vários fatores em todo o espectro do marketing, permitindo que os profissionais da área vejam todo o ecossistema e todos os relacionamentos, não apenas os silos.

 

 

Este ano, após um investimento significativo na nossa metodologia Marketing Engagement Tracker (MET), estamos entusiasmados por divulgar este novo relatório e proporcionar uma nova forma de medir e gerir o marketing, bem como desvendar a medida em que o mesmo contribui para o crescimento das empresas que ocupam lugares inferiores na lista.

Numa altura em que enfrentamos tempos de mudança sem precedentes e que o que o Fundo Monetário Internacional (FMI) sugere o início de uma desaceleração da economia global, devemos continuar a ser persistentes, tolerantes ao fracasso, honestos, abertos e otimistas. Estas características serão essenciais se as empresas quiserem ter sucesso. Saiba tudo sobre o Global Marketing Engagement Index 2019 aqui.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Novo Alpine A110S pronto para encomendar em Portugal