Jovens preferem assistentes digitais com voz de mulher

As vozes que ouvimos nos sistemas de navegação ou nos assistentes digitais pessoais tendem a ser de mulher. Um estudo desenvolvido pela Neuro-Insight em parceria coma Mindshare indica que esta poderá ser mesmo uma aposta certeira por parte das marcas, uma vez que a generalidade das pessoas parece preferir vozes femininas em equipamentos como estes.

Tendo por base uma análise às reacções subconscientes de 105 pessoas, o estudo mostra que pessoas de qualquer idade apresentam uma probabilidade 32% maior de reagir positivamente a vozes femininas. Passando para os jovens abaixo dos 35 anos, a probabilidade aumenta para 103%. Além de acharem as vozes de mulheres mais acessíveis, também as consideram mais apelativas.

Por outro lado, as pessoas mais velhas mostraram-se mais abertas (25%) a vozes masculinas, achando-as mais apelativas.

«Apesar de no passado as vozes masculinas terem tido mais autoridade, como se vê pelas reacções dos mais velhos, percebe-se que esse já não é o caso para as gerações mais novas», explica Heather Andrew, CEO da Neuro-Insight, citada pelo The Drum.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Já não é o salário que pesa mais na decisão de emprego
Automonitor
Novo Skoda Octavia chega dia 11 de novembro