Já temperou a comida com música?

E se para além de sal, pimenta, noz-moscada ou orégãos, a comida fosse temperada com música? É esta a proposta de Charles Spence, professor da Universidade de Oxford e psicólogo experimental, depois de ter estado no Multi-Room Sonic Wonderland da Sony.

A teoria de Charles Spence é de que o “tempero musical” pode melhorar o sabor dos alimentos de todo o mundo aconselhando, por isso, a cozinhar paella ao som de flamenco ou ouvir Puccini enquanto se degusta um prato italiano de massa.

O professor juntou 50 pessoas dentro da sala especial da Sony para testar a ideia e a conclusão é de que ouvir uma música do mesmo país de onde é proveniente o prato ajuda a dar mais sabor à comida. O teste colocou à prova pratos franceses, italianos, alemães, espanhóis e gregos.

Em comunicado oficial, Charles Spence conta que «ao possibilitar a reprodução de músicas diferentes em espaços diferentes ou a reprodução da mesma música em múltiplos espaços, a tecnologia de áudio multidivisões da Sony permite que as pessoas levem os seus alimentos e bebidas consigo de divisão em divisão para experienciar como esta mudança de ambiente, juntamente com a música, pode alterar realmente o sabor».

Outras conclusões das experiências no Multi-Room Sonic Wonderland da Sony revelaram que os sons graves tornam o sabor dos alimentos mais amargo ao passo que sons agudos adoçam os alimentos. A investigação concluiu também que quanto mais gostarmos da música reproduzida, mais gostaremos também da comida, fenómeno apelidado de transferência de sensações.

Os testes mostraram ainda que a reprodução de música clássica também pode influenciar a percepção que temos do preço, nomeadamente, dos vinhos. Ouvir música clássica ou ópera leva as pessoas a acreditarem que o vinho é mais caro e que sabe melhor.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Novo Alpine A110S pronto para encomendar em Portugal