Inteligência Artificial pode alavancar hotelaria

Ainda existe espaço para crescer na hotelaria e as novas tecnologias, nomeadamente a Inteligência Artificial, poderão ter um papel importante a desempenhar. Segundo um estudo elaborado pela Mazars, existem claras diferenças entre turistas ocidentais e chineses mas é consensual que a evolução tecnológica pode ter um impacto positivo na revolução da indústria.

Considerando as opiniões de turista da Alemanha, China, EUA, França e Reino Unido, 48% dos viajantes ocidentais não se recorda de nenhuma experiência significativa relacionada com inovação no sector hoteleiro. Por isso mesmo, será mais fácil surpreendê-los.

Por outro lado, os turistas chineses mostram-se mais avançados: a disponibilização de serviços com base em Inteligência Artificial influencia a escolha de hotel para 75% dos viajantes chineses inquiridos versus 31% dos norte-americanos, britânicos e alemães.

Quanto ao que gostariam de encontrar ao chegar a um hotel, a generalidade dos inquiridos aponta para recomendações customizadas para actividades nas proximidades. Seguem-se a possibilidade de fazer uma visita virtual ao hotel e a apresentação de preços em tempo real. Os turistas chineses em concreto gostariam de controlar o quarto através de um dispositivo inteligente.

O mesmo estudo revela que 80% dos ocidentais e 97% dos chineses estão preparados para partilhar pelo menos um dado pessoal para poderem ter acesso a serviços relacionados com Inteligência Artificial no hotel.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Apresentações estratégicas dão mote a nova academia em Lisboa
Automonitor
Hyundai NEXO: 6 coisas que precisa saber