Inbound Marketing – It’s all about people?

Por Ana Barros, directora executiva da OutMarketing

Neste momento de intensa transformação digital no qual vivemos, focamos toda a nossa atenção nas novas tendências, ferramentas, plataformas, aplicações e recursos que podem impulsionar os resultados da estratégia de Marketing. Porém, será que basta apenas contar com os melhores recursos para garantir o alcance dos objectivos esperados? Já sabemos que a resposta é negativa!

Não há dúvidas na capacidade de potencializar os resultados que muitas ferramentas oferecem. No entanto, para que a comunicação aconteça na sua plenitude, não nos basta ter apenas a mensagem. É preciso garantir o meio certo, para que a interacção entre emissor e receptor seja realizada com sucesso. Essa é uma lição básica, ensinada nos primeiros dias nos cursos de Ciências da Comunicação, mas que acabam esquecidas por muitos profissionais. De facto, o Marketing Digital, é potente e pode chegar aos quatro cantos do mundo. Mas, para isso, não se pode esquecer do elemento principal: as pessoas.

Vivemos um momento em que os clientes se tornaram os principais agentes de um processo de compras. Anteriormente, cabia às empresas apresentarem o produto/serviço ao cliente, através de publicidade e contactos directos. Com a possibilidade de controlar esse processo, o comportamento do consumidor transformou-se por completo. Cabe às empresas, garantir que os possíveis clientes a encontrem, através da oferta de conteúdo relevante. Assim, surge a metodologia do Inbound Marketing, que oferece através de diferentes canais, informações relevantes, adequadas às distintas etapas do processo de compras para atrair, converter, relacionar, vender e fidelizar.

O Inbound Marketing revolucionou o universo do Marketing e, cada vez mais, as empresas percebem a importância de se posicionarem como referências nos seus segmentos. Essa é a melhor maneira de apresentar-se à audiência como a melhor solução para os seus problemas.

Para garantir que a estratégia de Inbound Marketing traz resultados, é preciso muito mais do que softwares, plataformas ou aplicações para gestão de conteúdo. É preciso saber falar com a sua audiência, ou melhor, é fundamental saber quem é a sua buyer persona para entender as suas dores, responder a dúvidas e até mesmo usar o tom de voz correcto nos conteúdos.

Muito se fala sobre os requisitos do Google e as mudanças do algoritmo para o posicionamento no ranking, mas muitas vezes não se dá a relevância necessária à forma de construir esses conteúdos. Afinal, de nada adianta produzir um artigo para blog a respeitar elementos de SEO on-page, se o texto não tem um tom de voz orgânico e se a mensagem não reflecte as dores da sua audiência. O suporte tecnológico é fundamental, mas o contexto tem de ser pessoal.

Ainda a falar nas dores e questões da audiência, pensemos num exemplo simples. Com o avanço do conhecimento sobre o Inbound Marketing, é natural que durante a construção de um planeamento de conteúdo, se pense bastante sobre as dores dos utilizadores e a forma como pesquisam as suas dúvidas. Porém, será que está a ser considerada a forma como o mesmo interage com determinado conteúdo? Será que estamos a considerar quais são os canais  em que a minha audiência está presente? São questionamentos que parecem pequenos, mas que impactam directamente os resultados e fazem a diferença.

Mais do que nunca, é preciso compreender que uma estratégia de Inbound Marketing de sucesso é focada nas pessoas, nos possíveis clientes, assim como nos clientes actuais. O conceito de Customer Centric Marketing precisa de se tornar uma realidade dentro das empresas, para garantir que os conteúdos e todas as outras acções tragam resultados de verdade.

O foco nas pessoas (clientes), não deve existir apenas no planeamento das estratégias. Na verdade, para garantir que não haja nenhuma perda neste processo, é preciso estar sempre atento a forma como a sua audiência pensaria, caso estivesse a pesquisar sobre determinado tema. Como dito, não apenas a pesquisa, mas o desenvolvimento do conteúdo, a escolha das imagens, a forma de interacção, distribuição e partilha. Além disso, não se pode falar em estratégia Inbound sem abordar a parte analítica. Pois de nada adianta dedicar tempo, orçamento e esforço para a produção de conteúdos, se não há tempo dedicado a analisar o que funcionou e o que precisa de ajustes.

Seja do planeamento aos ajustes, da pesquisa à produção, é preciso estar sempre com as buyers personas no foco das acções de Inbound Marketing. Afinal, de nada adianta ter os melhores recursos tecnológicos se não estamos a atingir o nosso principal objectivo: os clientes.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Novo Alpine A110S pronto para encomendar em Portugal