Humanizar as marcas num mundo tecnológico

Num mundo cada vez mais tecnológico, robótico, e onde a Inteligência Artificial desempenha um papel com importância crescente, onde fica a humanização das marcas? Onde ficam as pessoas nessa equação? A emoção, a proximidade, o calor, o amor? E precisam as marcas de se humanizar? Precisam de tocar nas pessoas? Ou as pessoas precisam de ser tocadas? E como são tocadas? Através de causas, de propósitos? Têm as marcas de ter causas e propósitos para poderem vingar e, no fim da linha, serem elas as escolhidas pelos consumidores, pelo stakeholders?

Estes e muitos outros temas foram apresentados e debatidos na 11.ª Conferência Marketeer “A Humanização das Marcas”!

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Dezembro de 2018 da revista Marketeer.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...