Hoje é Dia da Cerveja. Sabe como nasceu esta bebida com mais de 7 mil anos?

Não é possível responder à pergunta sobrem quem inventou a cerveja porque, ao contrário da lâmpada ou do telefone, esta foi uma descoberta ao acaso. Segundo o canal História, é preciso recuar 12 mil anos no tempo para encontrar as primeiras bebidas fermentadas, que estarão na origem daquilo que conhecemos hoje como cerveja.

Num período de transição das tribos recolectoras para as primeiras civilizações dedicadas à agricultura e ao cultivo dos seus próprios alimentos, os cereais ganharam papel de destaque. E, neste contexto, as populações terão tropeçado, sem querer, no processo de fermentação de trigo, arroz, cevada e milho.

No entanto, embora a descoberta tenha sido acidental, não foi ignorada. Alguns antropólogos consideram até que o interesse por uma bebida fermentada terá contribuído para a Revolução Neolítica, uma vez que os humanos precisavam de novas tecnologias, ferramentas e mecanismos agrícolas.

Relativamente à primeira cerveja de cevada de que há registo, o canal História aponta para o Médio Oriente, onde foram encontradas provas de produção com cerca de sete mil anos. Na Babilónia foi encontrado também um manual de leis que decretava uma porção diária de cerveja, distribuída consoante o estrato social: os trabalhadores recebiam dois litros por dia, enquanto os padres recebiam cinco, por exemplo.

Também no Egipto a cerveja era um assunto sério. Muitos trabalhadores eram pagos em cerveja e todas as pessoas incluíam esta bebida na dieta alimentar, incluindo crianças.

Por esta altura, a cerveja não era filtrada e tinha depósito no fundo dos recipientes nos quais era servida. Para tentar contornar estas características mais desagradáveis, terá sido inventada uma palhinha especial.

É preciso avançar até à Idade Média para encontrar cervejas mais semelhantes àquelas consumimos hoje. Foi nos mosteiros que se começou a adicionar lúpulo à cerveja e a produzir bebidas mais refinadas.

Gosta de cerveja? Agradeça às mulheres

É certo que a história da cerveja tem muito de acidente e que foram várias as pessoas que contribuíram para a sua evolução, mas a marca espanhola Ambar sublinha o papel que as mulheres, em particular, tiveram.

Quando, há sete mil anos, se começou a desenvolver a cerveja na Mesopotâmia, foram as mulheres as responsáveis por misturar os grãos de cereais com água e ervas. Cozinharam-nos e apuraram a técnica de fermentação.

Segundo a sommelier de cerveja Jane Peyton, durante milhares de anos, as mulheres foram as guardiãs do conhecimento necessário à produção de cerveja e eram as únicas que podiam produzi-la e vendê-la.

Já na Idade Média, o lúpulo é adicionado à equação e mostra-se essencial à conservação, uma vez que, além de conferir um sabor característico, ajuda a prolongar a vida da cerveja. E terá sido a abadessa Hildegarda de Bingen a descobrir este novo método de produção – vindo a ser canonizada mais tarde, pelos seus contributos para a botânica, teologia e literatura.

Só mais tarde, com a industrialização, é que os homens tomaram as rédeas, indica a Ambar, sublinhando, porém, que vemos hoje um novo aumento do número de mulheres interessadas na arte cervejeira.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...