Google é alvo de boicote publicitário

Depois de o Havas UK Group ter anunciado, no início da semana, que iria suspender a publicidade dos seus clientes no Google e YouTube, várias marcas têm manifestado a mesma vontade. Algumas delas, incluindo Verizon, AT&T e Johnson & Johnson, já cancelaram mesmo todo o investimento publicitário que tinham alocado a estas plataformas, de acordo com a Bloomberg.

Na origem desta decisão estará a incapacidade da Google em resolver o problema em questão: as marcas têm reportado casos em que os seus anúncios surgem lado a lado com conteúdos potencialmente ofensivos ou promotores de ódio. Perante este cenário, a tecnológica garantiu que iria melhorar o sistema e avançar com uma revisão às suas soluções de publicidade.

Porém, as intenções da Google não passam para já disso mesmo. Depois de ter prometido solucionar o problema, continuaram a surgir anúncios junto a imagens e vídeos a que as marcas não querem estar associadas. A título de exemplo, um vídeo antissemítico foi encontrado antes de arrancarem campanhas da Axa, Total e Range Rover, entre outras marcas.

Citado pela mesma agência noticiosa, Eric Schmidt, chairman da Alphabet, afirma que a Google está muito próxima de garantir às empresas que os seus anúncios não serão colocados perto de materiais prejudiciais.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo