Geração Y a render-se aos bens de luxo

geracao-y-a-render-se-aos-bens-de-luxo

A Geração Y (nascidos entre 1981 e 2000) – conhecida pela sua estreita ligação ao digital – está a crescer e a conquistar um maior poder de compra. A faixa etária dos 18 aos 34 anos está a apostar cada vez mais na compra de bens de luxo. De acordo com um inquérito levado a cabo pelo braço de Business Insights da American Express, os consumidores da Geração Y elevaram os seus investimentos em bens premium, de luxo, em 31%, em 2011, comparativamente com o ano anterior. A segui-la de perto, em termos de crescimento dos gastos, esteve a Geração X (nascidos entre 1960 e 1985) – formada pelos filhos da geração Baby Boomers, que surgiu logo após a Segunda Guerra Mundial (nascidos entre 1943 e 1960) -, com um crescimento de 23% face a 2010.

Para o “apetite” de compra da Geração Y terá contribuído o facto de estarem agora a entrar no mercado de trabalho e a auferir salários mais elevados, adianta o eMarketer. Mas estas não serão as únicas razões. Com base nos dados da American Express, este incremento no consumo de bens de luxo poderá ter sido estimulado pelos descontos online, nos websites de luxo, bem como pelas pontuais campanhas de saldos. No fundo, será o mesmo que dizer que a adesão prematura da Geração Y aos saldos de e-commerce poderá ter traçado o caminho para as compras de luxo na totalidade do preço, isto é, sem qualquer tipo de redução.

Na compra de bens de luxo, os jovens consumidores, nativos digitais, dirigem-se frequentemente a sites de comércio electrónico e outras páginas que potenciem as compras e as pesquisas de produto. Um estudo desenvolvido em Novembro do ano passado por uma empresa de gestão da experiência do consumidor, Empathica, indicou que os compradores de bens de luxo visitaram websites de empresas com uma frequência ligeiramente superior à das visitas que fizeram a empresas com estruturas de brick-and-mortar. Além disso, quase metade dos compradores de luxo inquiridos pela Empathica afirmaram que lêm críticas online. 14% destes visitam websites de social media antes da compra. De facto, de acordo com aquela empresa, a web e o e-commerce respondem por uma fatia significativa da experiência de compra de luxo. Em parte porque os consumidores da Geração Y exigem dos retalhistas uma presença digital, e os de luxo, em particular, estão a esforçar-se cada vez mais por garantir a sua.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Portugal atraiu 610 estrangeiros «altamente qualificados» através deste programa
Automonitor
Regulamento da mobilidade elétrica obriga a celebrar contratos de adesão