Gastos em publicidade: pesquisa perde terreno para a voz

A publicidade em resultados de pesquisa ou outros formatos de motores de busca representa, actualmente, 22 cêntimos de cada dólar gasto em publicidade a nível global. De acordo com o relatório “Global Advertising Trends” da World Advertising Research Center (WARC), este é um valor elevado mas nota-se, ainda assim, um abrandamento no investimento neste meio.

A WARC prevê para este ano um crescimento de 9,6% na publicidade relacionada com pesquisa, cujo investimento deverá chegar aos 135,9 mil milhões de dólares (cerca de 123 mil milhões de euros). Trata-se da taxa de crescimento mais baixa desde 2015, além de ser uma quebra significativa face ao salto de 16,9% verificado no ano passado. No total, a publicidade em motores de busca representa 45,8% do total de publicidade online.

«A pesquisa cresceu ao longo da última década, uma vez que os profissionais têm colocado um peso maior na publicidade baseada em desempenho para aumentar o ROI – poucas estratégias de marketing excluem um elemento de pesquisa, hoje», indica James McDonald, managing editor na WARC Data e autor do relatório. Os profissionais de Marketing olham para a pesquisa como o canal mais fácil para medir com precisão os resultados e como uma forma mais eficaz em termos de custos para alavancar as conversões.

Porém, alerta o mesmo responsável, a indústria está a começar a duvidar dos benefícios desta estratégia no longo prazo. Perante este cenário incerto, a voz começa a ganha tracção. Diz a WARC que a falta de crescimento tem intensificado a concorrência e o crescimento de outras formas de pesquisa menos tradicionais, como é o caso da voz – mercado actualmente dominado pela Amazon e pelas suas colunas inteligentes, mas que também conta com a Google.

Pesquisas mobile

O mesmo relatório indica que os gastos em pesquisas mobile deverão subir 19,2% para 88,1 mil milhões de dólares (79,5 mil milhões de euros) este ano, passando a responder por 64,8% do gosto total em publicidade associada a motores de busca em todo o mundo. A Google assume o papel de principal player, sendo responsável por 95,4% de todas as pesquisas em equipamentos móveis – no desktop, a quota de mercado é de 88,6%.

Google para pesquisar. Amazon para comprar

Para que é utilizada cada uma das plataformas ao dispor dos utilizadores? A WARC indica que o Instagram serve para explorar, o Google para pesquisar e a Amazon para comprar. Dados da Mindshare citados no mesmo relatório indicam que o Instagram é utilizado por 69% dos consumidores para descobrir novos produtos, à frente do Snapchat (64%) e do Facebook (61%).

O Google, por seu turno, é o mais utilizado para pesquisar (70%), seguido pelo Pinterest (51%). Já a Amazon é apontada por 78% dos utilizadores como a plataforma escolhida para comprar online (78%). O Google também é usado para este propósito mas apenas por 40%.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Deloitte tem nova liderança no Marketing e Comunicação
Automonitor
Elétricos: Galp vai inaugurar primeiro ponto de carregamento em São Miguel