Fujifilm abandona rolos para filmes

Depois de quase oito décadas, a empresa nipónica Fujifilm anunciou que deixará de produzir os tradicionais rolos para cinema em Março de 2013, com o objectivo de se concentrar em exclusivo na era digital.

A companhia, que fabricava rolos para câmaras e projectores de cinema desde a sua fundação, em 1934, abandona o mundo analógico devido à “drástica diminuição da procura nos últimos anos”, explica a Fujifilm em comunicado, citado pela Exame brasileira.

As gravações digitais e as salas adaptadas aos novos formatos cinematográficos, como o 3D, transformaram-se em algo “comum” na indústria do cinema, o que contribuiu para a decisão da empresa. A partir de agora, a companhia procurará “adaptar-se à rápida transição para a digitalização nos processos de gravação, produção, projecção e arquivo de filmes”, mantendo desta forma a sua “contínua contribuição à indústria do cinema”, acrescenta.

Ainda assim, a empresa, sediada em Tóquio, Japão, ressalva que nos últimos anos vinha a esforçar-se “para reduzir custos” e poder continuar a fornecer material cinematográfico analógico. A Fujifilm era mesmo a última empresa japonesa a manter a produção de rolos cinematográficos.

No primeiro trimestre do ano fiscal de 2012, que terminou em Junho, a Fujifilm obteve um resultado líquido de 2,5 mil milhões de ienes (cerca de 24,5 milhões de euros), o que representa uma quebra de 87,5% face ao período homólogo. No entanto, a empresa estima fechar o actual ano fiscal (que termina a 31 de Março de 2013) com um resultado líquido consolidado de 65 mil milhões de ienes (638 milhões de euros), mais 48,5% em relação ao ano fiscal de 2011.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes 10 benefícios vão ser os mais desejados pelos colaboradores em 2020
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio