Free Now tem solução para táxis competirem com TVDE

Está concluído o processo de transição da mytaxi para Free Now. A aplicação de táxis faz, a partir de agora, parte de um serviço de mobilidade mais amplo, fruto de um acordo estabelecido entre a BMW e a Daimler. Com a mudança de marca chega também uma nova opção para os utilizadores, com preços mais competitivos.

A nova aposta chama-se Lite e promete viagens de táxi cerca de 30% mais baratas. É a resposta da Free Now aos preços praticados pelos TVDE (serviços como Uber ou Bolt) e uma forma de promover a utilização deste meio de transporte: o Lite funcionará em exclusividade com o taxímetro na Letra C, o que significa que não estará a contar e que o preço será dado pela Free Now. Além disso, pela primeira vez num táxi será possível saber, à partida, o preço exacto que será cobrado pela viagem – à semelhança do que acontece com os TVDE.

O pagamento do novo serviço deve ser feito exclusivamente via app e o cliente deve colocar o destino final antes de solicitar a viagem, alerta a Free Now. «O lançamento do Lite significa o táxi de sempre, mas com um preço de futuro», afirma Pedro Pinto, director-geral da Free Now em Portugal.

Em comunicado, o responsável indica que qualidade e preço são os factores que orientam a escolha dos utilizadores. No caso da qualidade, diz que o trabalho tem sido feito junto dos motoristas parceiros para que a imagem do sector possa melhorar. Quanto ao preço, «tem sido mais difícil mudar a regulamentação, há muito desactualizada e, por isso, a introdução do Lite foi a forma encontrada ao abrigo da actual legislação que permite que o táxi volte a ser competitivo».

Além da mytaxi, a marca Free Now passa a abranger também as trotinetes eléctricas Hive, que poderão ser desbloqueadas através da mesma aplicação móvel. Para o futuro está prevista a implementação de outros sistemas de mobilidade.

«Embora o táxi vá continuar a desempenhar um papel fundamental na nossa oferta, acreditamos que no futuro é importante termos mais opções de mobilidade. As exigências dos utilizadores, a regulamentação e as opções técnicas para a mobilidade estão em constante mudança», explica Eckart Diepenhorst, CEO da Free Now na Europa.

Segundo o mesmo responsável, para conseguirem manter e aumentar a base de clientes satisfeita é fundamentar continuar a evoluir a proposta de valor de modo a cumprir a missão a que a Free Now se propõe: tornar a mobilidade disponível para todos, independentemente da idade, cultura ou capacidade financeira.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Airbus vai ter open day. Há 90 vagas para fábrica portuguesa
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift