Falência de accionista do RiR não compromete festival

A SFX Entertainment, empresa dedicada à capitalização de festivais de música e que detém 40% da holding responsável pelo Rock in Rio, abriu falência. Contudo, o evento que volta este ano a Lisboa parece não estar em risco.

Fonte do gabinete de imprensa do Rock in Rio disse ao Jornal de Negócios que «a recente alteração na estrutura accionista da SFX, resultado do pedido de insolvência, não exerce qualquer efeito sobre as actividades regulares do Rock in Rio, bem como na sua capacidade de financiamento e especialmente na realização dos seus eventos».

Parte da razão por que as mudanças na SFX Entertainment não deverão afectar o Rock in Rio está no facto de a empresa não deter uma posição maioritária na holding que detém o evento de música.

A reestruturação resultante da falência da SFX Entertainment vai, de acordo com o The New York Times, eliminar mais de 300 milhões de dólares (268 milhões de euros) de dívida e levar à nomeação de um novo CEO. A mesma publicação cita ainda um comunicado em que é garantido que festivais como Electric Zoo, Tomorrowland, Mysteryland e Stereosonic continuarão como planeado.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Qual é, afinal, o papel do líder?
Automonitor
Maratonas condicionam trânsito em Lisboa (conheça as vias afetadas)