Facebook compra WhatsApp por 19 mil milhões de dólares

APP_2O Facebook chegou a acordo para adquirir a aplicação de mensagens móveis WhatsApp por 19 mil milhões de dólares (cerca de 13,86 mil milhões de euros) em dinheiro e acções. É já o maior negócio na internet em mais de uma década.

O negócio prevê o pagamento de 12 mil milhões de dólares em acções do Facebook e 4 mil milhões em dinheiro. Serão ainda pagos 3 mil milhões de dólares adicionais em acções que serão distribuídas a longo prazo pelos fundadores da WhatsApp e pelos trabalhadores da startup, adianta o Facebook em comunicado de imprensa.

Com esta operação, a empresa fundada por Mark Zuckerberg procura atingir a liderança no mercado das mensagens instantâneas e atrair mais utilizadores entre o público jovem. A WhatsApp conta com mais de 450 milhões de membros em todo o mundo, 70% dos quais activos, e recebe em média um milhão de novos utilizadores a cada dia que passa. O volume de mensagens trocado através desta aplicação é já idêntico ao volume global de SMS enviado em todo o mundo.

«Estou entusiasmado por anunciar que chegámos a acordo para adquirir a WhatsApp e que toda a sua equipa se vai juntar ao Facebook», escreveu Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, num post publicado na rede social. «A nossa missão passa por tornar o mundo mais aberto e ligado. Fazemo-lo ao construir serviços que ajudam as pessoas a partilhar qualquer tipo de conteúdos com todos os grupos de pessoas. A WhatsApp vai ajudar-nos a consegui-lo», afirmou, acrescentando que a WhatsApp «vai continuar a operar de forma independente» e que a «estratégia do produto vai manter-se inalterada».

Por sua vez, Jan Koum, CEO da WhatsApp, garantiu que o serviço irá manter-se livre de publicidade. «Nenhum anúncio vai interromper a sua comunicação. Não teria havido qualquer tipo de parceria entre as duas companhias se tivéssemos que comprometer os princípios fundamentais que definem a nossa companhia, visão e produto», acrescentou, numa nota publicada no blogue oficial da startup.

O montante desembolsado pelo Facebook ultrapassa em larga medida os 900 milhões de dólares (657 milhões de euros, ao câmbio actual) que a japonesa Rakuten pagou na semana passada pelo Viber, uma aplicação idêntica à Whatsapp. Isto significa que, se a Rakuten pagou 3 dólares (2,19 euros) por cada utilizador do Viber, o Facebook irá despender 42 dólares (30,66 euros) por cada membro da WhatsApp.

É também a maior aquisição de sempre do Facebook, que em 2012 tinha gasto mil milhões de dólares na compra do Instagram. Mas há mais: segundo a agência Bloomberg, representa também o maior negócio na internet desde que a Time Warner absorveu a AOL em 2001 por 124 mil milhões de dólares.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Outubro 2019
Automonitor
Já viu o novo ultracompacto 100% elétrico da Toyota?