Estudantes gastam média de 420 euros em alojamento

O número de arrendamentos em Portugal através da Uniplaces cresceu 183%, no ano passado. Já o número de anúncios disponíveis na plataforma subiu 33%, revela o “Relatório do Mercado de Arrendamento a Estudantes”, promovido pela startup portuguesa.

A estadia média por estudante foi de 4,7 meses e o gasto em alojamento foi de 420 euros. Segundo a Uniplaces, os estudantes portugueses foram os que menos gastaram em renda, apresentando uma média de 395 euros. Já os britânicos estão dispostos a pagar 496 euros por um quarto ou casa em Portugal.

Um total de 109 nacionalidades compõe o leque de estudantes que recorreram à Uniplaces para encontrar alojamento, sendo que 77% dos utilizadores que arrendaram através da plataforma, em 2016, eram de nacionalidade não portuguesa. O Brasil foi um dos principais países emissores, a par de Itália, Alemanha, Espanha e França. Estes quatro países europeus juntos foram responsáveis por um terço dos estudantes internacionais a arrendar alojamento em Portugal.

«Em 2016, a Uniplaces testemunhou um grande crescimento no número de estudantes estrangeiros em Portugal. Esta subida confirma a crescente importância de uma plataforma que facilite o processo de arrendamento», refere Miguel Santo Amaro, co-fundador da Uniplaces.

O responsável explica ainda, em comunicado, que «este tipo de hóspede é, cada vez mais, uma opção por parte de proprietários de imóveis que pretendem rentabilizar ao máximo as suas habitações». A Uniplaces pretende funcionar como ponte entre as duas partes da equação.

O mesmo estudo indica ainda que 79% dos estudantes optaram por arrendar um quarto, eliminando as opções casa completa e cama. Além disso, Setembro e Fevereiro, meses em que tipicamente se iniciam novos semestres universitários, são os meses com maior procura para o início de um novo contrato.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo